As vitrolas, os toca-discos e os famosos “bolachões” voltaram com bastante força ao mercado, fazendo a alegria de muitos.

A menos quando o assunto é o preço do disco de vinil. Já se surpreendeu com os valores?

É comum que, ao começar a pesquisar um aparelho toca-discos, pessoas pesquisem também sobre a disponibilidade de álbuns que gostariam de ter e onde comprá-los.

Mas a verdade é que o preço dos vinis pode acabar desanimando alguns.

Pensando em tudo isso, preparamos este post para falar a você sobre os motivos para o valor elevado dos discos e ajudar a você a entender se vale ou não a pena investir nesse tipo de mídia. Vamos lá?

O preço dos discos de vinil

Em nosso blog, temos um post sobre os principais serviços de streaming de música disponíveis atualmente. Com menos de R$ 15 por mês, você consegue assinar praticamente qualquer um dos serviços que desejar.

Ao pagar pelo streaming, você tem vantagens como ouvir músicas sem interrupções e o direito de baixar seus álbuns e playlists favoritas para ouvir mesmo quando estiver offline.

O catálogo de músicas ― e outros conteúdos em áudio ― é extenso e, como isso, não é difícil pensar que os serviços de streaming de música têm um ótimo custo-benefício para quem ouve.

O streaming de música se fortaleceu em um universo que já contava com o MP3, os CDs, as fitas K7 e, claro, os discos de vinil. Todas essas outras mídias tendem a custar mais caro do que os serviços.

Uma rápida pesquisa na internet possibilita que você descubra que o preço do disco de vinil novo, em média, é de R$ 150.

Isso sem mencionar aqueles que são campeões de venda ou que se tornaram raridade e que, por isso, podem chegar a custar alguns milhares de reais.

Um exemplar do Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band, uma das maiores obras dos Beatles, pode custar R$ 245. Já a edição natalina de apenas 100 cópias do mesmo disco pode custar cerca de R$ 620 mil.

Por que discos de vinil são caros no Brasil?

Ainda que você não queira comprar uma edição especial do Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band, vai precisar desembolsar um bom dinheiro para ter um exemplar.

E falamos apenas no valor de um disco de vinil enquanto o que se espera que aconteça, na realidade, é a compra de vários bolachões para montar uma coleção de respeito.

Com tudo isso, surge a pergunta: por que pagamos tão caro em discos de vinil?

Diferentes fatores podem influenciar o preço de um disco de vinil. O principal deles é o valor do imposto.

Segundo artigo da Vix, “antes do preço final, um vinil importado, por exemplo, tem correções de 60% do Imposto de Importação, mais ICMS variável por estado”. Soma-se a isso a taxa alfandegária.

Outro motivo é o colecionismo.

Como voltaram à moda, vinis voltaram a ser considerados itens de colecionador e isso tende a elevar o seu valor no mercado porque assume-se que colecionadores estão dispostos a pagar caro.

O que não é, necessariamente, uma verdade.

A fabricação de vinis em território nacional

Dito isso, é interessante apontar que existem fábricas no Brasil e que isso contribui para que o preço do disco de vinil seja um pouco menor em alguns casos.

Em média, os discos produzidos pela PolySom, por exemplo, custam em média R$ 119,00. Há uma diferença de valor, mas que pode não ser tão significativa para aliviar o bolso dos fãs desse tipo de mídia.

Contudo, é necessário dizer que a fábrica brasileira produz vinis de música nacional. Assim, se você é fã da nova MPB, por exemplo, pode se beneficiar dessa situação. Por outro lado, se prefere artistas gringos, vai mesmo precisar pagar mais caro.

Vale a pena comprar discos de vinil?

Ainda com a produção de discos de vinil em território nacional, os valores podem ser considerados elevados. Com isso, surge outra pergunta: vale mesmo a pena investir na compra de discos de vinil?

Nosso objetivo não é dizer a você “vale a pena” ou “não vale a pena”. Para responder ao questionamento, vamos apresentar algumas questões que costumam ser consideradas para essa avaliação:

O fator emocional ou cultural

Entre aqueles que estão interessados em comprar discos de vinil estão os saudosistas. Pessoas que viveram a época de ouro das vitrolas e dos discos e sentem falta do ritual muitas vezes atrelado à sua escuta.

Há outras que não sentem falta simplesmente porque não viveram aquela época, mas conheceram toda a cultura em torno do vinil e se apegaram emocionalmente a isso. E, claro, há aqueles que embarcaram nessa pela “moda”.

Entre emoção e cultura, há algo na avaliação dos ouvintes do vinil que pode fazer a experiência mais significativa do que aquela que envolve ouvir músicas em um serviço de streaming.

Por essa razão, existem pessoas que se conectam com a música e vivenciam melhor a experiência de ouvi-la quando o fazem por meio dos discos de vinil.

Nada disso, porém, é regra. Mas se você se identifica, tem um motivo para investir na sua coleção.

A qualidade do som

Não é de hoje que existe uma vasta discussão sobre a qualidade do som analógico vs. a qualidade do som digital e nós não temos a pretensão de comprar essa briga.

Apenas pensando no seu possível desejo de ter seus discos de vinil, vamos trazer pra cá uma explicação dada por Bruno Cavichia Desidério, jornalista que se dedica a escrever sobre o universo da música.

Segundo ele, “clássicos da música sofreram perda de qualidade na passagem de formato analógico para digital. Principalmente no que diz respeito aos graves”. Com isso, se você está em busca de mais um motivo para comprar discos de vinil, assinala a qualidade do som na lista.

A possibilidade de venda

Por fim, se tudo der errado e você decidir que não quer mais ter discos de vinil e que não vai investir nesse tipo de mídia, ainda pode fazer algum dinheiro e vender os exemplares que possuir.

Ao menos até o momento em que este post foi escrito, o mercado de vinis segue ativo e há interessados em comprar coleções ou discos usados, desde que em bom estado.

Existem alternativas para economizar?

Se o preço do disco de vinil assusta você apesar do desejo de tê-los em casa, redobre a atenção ao que acabamos de dizer sobre a possibilidade de venda. Se há quem queira e esteja vendendo vinis usados, você consegue encontrá-los no mercado para comprar.

Sendo assim, a alternativa mais simples para economizar e comprar seus discos de vinil é buscar exemplares usados. Para tanto, você pode recorrer a lojas que funcionam como sebos ou até a lojas online e independentes, como as que encontramos no Mercado Livre.

Caso deseje fazer isso, porém, busque o máximo de informações que puder e, se possível, escute o disco antes de comprá-lo. O objetivo é evitar pagar o preço que seja por um bolachão em mau estado.

Atenção! Discos de vinil no Mercado Livre podem ser vendidos a valores “absurdos”. Por isso, lembre-se de pesquisar bastante.

Às vezes, a compra direta em uma loja tradicional pode valer mais a pena tanto pelo valor quanto pelo benefício. De nada adianta fazer uma economia na hora de comprar disco de vinil e, no fim das contas, ter em casa um disco que não rodam bem.

Gostou do post? Se você decidir comprar vinis novos ou usados, siga nossas dicas para conservá-los em bom estado por mais tempo!

Share:

1 Comment

  • Paulo, 11 de fevereiro de 2021 @ 20:14 Reply

    O som do vinil não é melhor que o digital, é apenas diferente. Esse negócio de graves melhores é balela, purismo ou qualquer outra coisa que realmente não influi na qualidade real do som. A questão é de gosto apenas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *