Alguns dispositivos modernos são uma verdadeira “mão na roda” para quem gosta de praticidade e conveniência. Uma das invenções tecnológicas com essa característica é o tablet. Você está pensando em comprar um?

Caso você tenha caído de paraquedas nesse post e ainda não saiba o que é um tablet, dê uma pausa na leitura, confira o conteúdo que fizemos especialmente para apresentar o dispositivo, e volte! Caso você já saiba, continue aqui.

Nosso objetivo é ajudar você a entender o que avaliar na hora de comprar um tablet para descobrir qual tem o melhor custo benefício. Assim, você tem a segurança de fazer um investimento que cabe no seu bolso e levar para casa um aparelho que atende perfeitamente às suas necessidades.

Confira!

Defina os principais usos do seu tablet

O principal fator a definir o que é um bom custo benefício é a necessidade do usuário. Isso significa que não vale a pena apenas pesquisar por tablets baratos, focando apenas no preço como se não houvesse nenhuma outra diferença entre os aparelhos.

Em geral, tablets são especialmente utilizados para o consumo de mídias, ou seja, de fotos e vídeos. A ideia é interessante, sobretudo considerando que temos à disposição uma imensa variedade de vídeos no youtube, além de serviços de streaming como a Netflix e outros.

Com isso, os tablets são um bom dispositivo para assistir a séries, filmes, documentários, boletins informativos e até esportes. Para esses fins, são mais adequados do que os smartphones por terem telas maiores e, na maioria das vezes, sem perda de qualidade.

Outra possibilidade é de que um tablet seja usado para a edição de vídeos e fotos. A tela grande é um ponto positivo, mas nesse caso também é preciso considerar a capacidade do dispositivo em suportar os programas usados para essas edições.

Tendo essas situações como base, você consegue entender por que é importante definir quais serão os principais usos do seu tablet? Se você deseja apenas assistir a vídeos online, não precisa pagar mais caro por um dispositivo com processador mais potente, por exemplo.

Saiba avaliar as características técnicas

A parte das características técnicas de um dispositivo como um tablet pode parecer a mais chata ou a mais complicada. Entretanto, acredite quando dissermos que vale a pena saber avaliar ao menos o básico.

A verdade é que você não precisa entender a fundo o que tudo significa, mas pode ter uma noção boa o bastante para fazer a escolha certa. Como você pode imaginar, quanto mais avançada ou potente é a parte técnica de um aparelho, mais caro ele custa.

Sendo assim, se você busca um tablet barato que seja bom o bastante para atender aos seus principais usos, precisa entender no que está prestes a investir seu dinheiro. Vamos lá?

Tela

O tamanho da tela é a características mais fácil de entender. Considerando algumas das possibilidades que existem no mercado, você pode encontrar tablets com telas de 7 polegadas, 8.9 polegadas e 10.1 polegadas. Quanto maior o número de polegadas, maior o tamanho.

Sistema

Existem dois sistemas operacionais mais comuns no mercado: o Android e o iOS. O primeiro é usado na maioria dos dispositivos, de diversas marcas. Já o segundo é encontrado apenas em dispositivos da Apple ― a saber, o tablet dessa marca se chama iPad.

Uma das questões mais simples para avaliar qual dos dois sistemas escolher é a usabilidade. Quem já usa um sistema Android no smartphone e não pensa em trocar, não tem motivos para comprar um iPad pensando apenas no sistema e vice-versa.

Seja como for, os sistemas costumam vir acompanhados de números, por exemplo, Android 4.1. Quanto mais alto o número ― e note que há variação do 4.0 para o 4.1 ―, mais recente é o sistema. Os fabricantes fazem atualizações para corrigir erros e acrescentar funcionalidades, por isso, contar com um sistema mais recente tende a ser mais interessante.

Internet

A função primordial dos tablets não é fazer ligações, como os smartphones. Por essa razão, muitos modelos só acessam a internet por meio de uma conexão sem fio (wi-fi).

Em alguns casos, porém, o dispositivo tem entrada para um chip ― o mesmo que você compra em operadoras de telefonia móvel ― que garante também uma conexão de internet 3G ou 4G. Com essa possibilidade, o usuário pode usar o tablet para acessar a internet onde quer que esteja, sem depender de um wi-fi.

Processador

“Processador quad-core e 1GB de memória RAM”. É comum encontrar informações como essa quando pesquisamos sobre tablets para comprar. Hora de aprender o que isso quer dizer!

O processador é como o cérebro do dispositivo, sendo que sua potência pode variar entre um modelo e outro. As possibilidades existentes são dual-core, quad-core e octa-core. Percebe como fazem referências a números? Quanto maior o número, melhor é a potência do processador.

O quad core é bom o bastante para a maioria dos usos de um tablet. Caso seu objetivo seja editar fotos e vídeos, porém, vale a pena investir em um octa core.

A memória RAM diz respeito à capacidade desse cérebro. Aparelhos para uso básico podem ter 1GB, mas modelos com 2GB ou 3GB evitam eventuais lentidões. Dispositivos mais avançados, por sua vez, podem ter memória RAM de 8GB.

Armazenamento

A capacidade de armazenamento de um tablet é importante em diferentes níveis. Se essa memória for baixa, o dispositivo não vai conseguir armazenar muitas fotos e vídeos, por exemplo. O mesmo pode acontecer caso o usuário queira instalar vários aplicativos ou rodar programas pesados como os utilizados para a edição.

Agora, se o objetivo é simplesmente chegar e-mails e assistir a vídeos online, a capacidade de armazenamento pode ser menor sem que isso comprometa a experiência do usuário.

8GB é o armazenamento mínimo recomendado para um tablet. De fábrica, os modelos costumam vir também com opções de 16GB e 32GB. O interessante é descobrir a capacidade de expansão, quando existir. Em alguns dispositivos é possível inserir um cartão de memória de até 256GB!

Bateria

A autonomia da bateria, ou seja, o tempo em que o dispositivo pode ser usado sem precisar ser conectado à energia também é importante. Em geral, os usuários de tablets querem levá-los por todos os lados, o que demanda boa autonomia.

Essa característica é descrita por um número seguida de “mAh”. Uma bateria de 7.300 mAh tende a durar muito mais do que uma de 3.600 mAh, por exemplo. Quanto a isso, é importante dizer que certos aplicativos e programas consomem mais bateria do que outros, portanto, o uso também influencia.

Conheça alguns tablets bons e baratos

Pronto! Agora você tem uma boa noção do que influencia a capacidade de um tablet e, consequentemente, o que define se um tablet é barato ou não. Com isso em mente, separamos algumas opções que têm bom custo-benefício para que você as avalie conforme seus objetivos e possibilidade de investimento:

Galaxy Tab A SM-T280

  • Tela de 7”
  • Processador quad-core e 1,5 GB de memória RAM
  • Android 5.1 
  • Só wi-fi
  • 8 GB de armazenamento (expansível até 200 GB)
  • Bateria de 4.000 mAh

Galaxy Tab E SM-T561

  • Tela HD de 9,6″
  • Processador quad-core e 1,5 GB de memória RAM
  • Android 4.4 
  • 3G e Wi-Fi
  • 8 GB de armazenamento (expansível até 128 GB)
  • Bateria de 5.000 mAh

Apple iPad

  • Tela retina 2K de 9,7″
  • Processador Apple A9
  • iOS 12
  • Wi-Fi
  • 32 GB de armazenamento
  • Bateria mAh não informado

ObaPad

  • Tela IPS de 7 polegadas
  • Processador quad-core e 1GB de memória RAM
  • Android
  • Wi-fi e 3G
  • 8GB de armazenamento (expansível até 32GB)
  • Baixo consumo de energia

Com essas opções e depois de uma boa análise, você vai perceber que o tablet barato é aquele que não pesa no seu bolso e que, ao mesmo tempo, entrega exatamente o que você precisa!

Tem interesse em comprar um tablet especialmente desenvolvido para usuários da terceira idade? Conheça mais sobre o Obapad!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *