Música é tudo de bom! A gente aqui da Obabox adora e entende bem você que gosta de aumentar o volume para curtir ou levar sua caixa de som onde quer que você vá. Entretanto, é bacana evitar que o som alto demais atrapalhe os outros, não acha?

Nos últimos anos, as caixinhas de som portáteis se popularizaram. Funcionando por meio da tecnologia do bluetooth, essas caixas podem ser facilmente conectadas à celulares modernos com acesso à internet. A consequência é a possibilidade de fazê-las tocar qualquer música em qualquer lugar.

Junto com a popularização, além dos pontos positivos, vieram os negativos. O volume alto levou à criação de um projeto de lei para impedir uso de som em ônibus e vans, além da possibilidade de resposta por perturbação do sossego.

O bom senso deve a ser regra

Suponhamos que você decidiu passar um dia divertido com a família ou os amigos em um clube local ou na praia de sua preferência. Momentos de descontração merecem uma trilha sonora e tudo fica melhor quando as músicas tocadas são aquelas que a gente gosta.

É por essa razão que muita gente tem uma caixa de som portátil para levar por aí. Em determinadas situações, a única solução para conseguir ouvir bem a música é aumentar o volume. Em outras, fazemos essa opção porque gostamos muito daquilo o que ouvimos e nos sentimos no direito de compartilhar com todos.

Com isso em mente, em seu dia de lazer pode ser que você acabe colocando o som alto demais. Ainda que algumas pessoas façam isso para chamar a atenção, muitos de nós nem sempre percebemos quando passamos dos limites e é por essa razão que um exercício de bom senso é bem-vindo.

Sempre que estivermos em locais públicos, convém lembrar que não somos os únicos ali. Algumas pessoas podem não gostar dos mesmos artistas ou gêneros que você e se sentir incomodadas. Outras, ainda que gostem, podem preferir curtir o momento de forma mais tranquila e sem precisar elevar o tom da voz nas conversas.

Quando estamos em área residencial, fazendo uma reunião informal em casa, por exemplo, esse bom senso também deve prevalecer. O som alto é comum em festas, mas vale apostar na moderação e, sobretudo na atenção com o horário para não perturbar o sossego da vizinhança.

Perturbação do sossego e poluição sonora

Batemos o martelo na questão do bom senso porque ele pode evitar transtornos e situações indesejadas. Você já ouviu falar na Lei do Silêncio? O termo é usado para se referir a um conjunto de textos legais que apresentam regras sobre horários e limites de volumes para músicas e outros sons.

É comum que a Lei do Silêncio seja mais aplicada e mais rigorosa com bares, casas noturnas e shows. Entretanto, quando alguém frequentemente abusa do som alto, seja usando uma caixa portátil ou até mesmo um carro, pode acabar recebendo uma denúncia de perturbação do sossego.

Juridicamente, o que configura a perturbação do sossego é o ruído em volume além do permitido acontecendo de forma recorrente e causando prejuízo à saúde dos cidadãos. 

É o caso, por exemplo, de quem faz festa em casa todo fim de semana e não se atenta para o desconforto gerado pelo som alto. E é também o caso de lojistas que usam caixas de som diariamente para anunciar suas promoções e não se atentam aos limites do volume.

Com a popularização das caixinhas essa perturbação pode ser causada até por quem, pela primeira vez, decide colocar o som alto na praia. A sugestão das autoridades é que aqueles que se sentirem incomodados tentem conversar com o dono da caixinha. Se o volume não baixar, porém, a polícia pode ser chamada para cuidar da situação.

Quanto a isso, é importante saber que a perturbação do sossego não é algo que acontece apenas depois das 22h. Antes desse horário, seja em locais privados ou públicos, se o som alto exceder os limites, o responsável pode sofrer as consequências.

A perturbação do silêncio é considerada uma contravenção de menor poder ofensivo. Em razão dela, porém, aquele que mantém o som muito alto pode ser multado ou até sofrer uma prisão simples com duração de 15 dias a três meses.

Poluição sonora

É comum que a gente use o termo poluição sonora para fazer referência a ruídos altos demais que nos incomodam. A música da festa de alguém, o som de carros presos no trânsito e que buzinam sem parar e até os anúncios feitos por lojistas.

Apesar disso, legalmente, a poluição sonora é um crime mais grave do que a perturbação do silêncio. Entende-se que a poluição sonora tem níveis de decibéis mais elevados, capazes de causar danos ao meio ambiente. Sendo, portanto, um crime ambiental, tem punição mais severa e pode levar a detenção de um a quatro anos.

Para que fique mais claro, a perturbação do silêncio não precisa ser avaliada pelo nível de decibéis. O entendimento de que o som está alto demais, causando desconforto e estresse tende a ser o suficiente. Por sua vez, a poluição sonora deve ser constatada por um decibelímetro e contar com a emissão de um laudo por uma autoridade competente.

Caixa de som: use sempre, mas com atenção!

Saber da existência de leis que visam limitar o volume do som e de outros ruídos que perturbem os demais é interessante para que fiquemos atentos para não passar dos limites.

Mencionar a possibilidade de envolvimento da polícia, aplicação de multas ou até de penas mais graves não é estratégia para dizer que você não deve ouvir suas músicas ou usar sua caixa de som. O que queremos mesmo é reforçar a ideia da importância do bom senso!

A verdade é que, até que inventem uma tecnologia mais prática e mais avançada, as caixinhas de som portáteis vieram para ficar. Use-as para ouvir música sozinho, para criar uma trilha sonora para a sua vida, para se divertir com outras pessoas em sua casa ou em ambientes públicos (quando permitido).

Seja onde for, evite o som alto para se certificar de que sua diversão não atrapalhe a dos outros. Do contrário, a situação pode ficar chata para todo mundo.

Agora que você já sabe como aproveitar tudo o que as caixas de som tem a oferecer sem perturbar ninguém, conheça a ObaSound – a caixa de som 7 em 1 que você precisa!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *