O samba-enredo é uma herança cultural brasileira que marca pessoas de todas as gerações. Afinal, quem não tem uma história de carnaval embalada por uma música característica da época mais esperada por quase todo brasileiro?

Mas se você estiver um pouco por fora dos principais sambas-enredos que marcam a história de muita gente, não tem problema! Seja para saber ou relembrar, preparamos um texto todo especial para falarmos sobre o tema

Esperamos que você goste e se divirta com a leitura!

Samba-enredo: Marcando gerações e histórias

O samba-enredo é o grande responsável por levantar uma multidão de pessoas dentro e fora da Sapucaí. Quem já não deve ter visto como essas músicas com batidas eletrizantes mexem com pessoas de todos os tipos? Mas não é de hoje que o samba-enredo desperta curiosidade, interesse e amor entre os brasileiro. 

Desde a década de 50, o samba enredo moderno veio se tornando a principal atração entre as pessoas que já eram verdadeiras foliãs do carnaval. 

Como uma ramificação do ritmo samba, o gênero começou a dar os seus primeiros acordes em 1930, mas foi em 1950 que ficou popularmente conhecido. Esse tipo de samba é composto especialmente para compor os desfiles das escolas de samba, também a atração principal do carnaval do Brasil. 

Logo na formação das primeiras escolas, os sambas-enredos eram embalados nas próprias quadras da escola e no barracão onde eram montados as fantasias, adereços e carros alegóricos. Dessa forma, o ritmo já contagiava quem trabalhava para colocar o desfile na rua. 

Existe uma certa polêmica sobre o primeiro samba-enredo oficialmente lançado, mas depois de tanto debate, chegou-se à conclusão de que o primeiro ocorreu em 1933 pela escola carioca Unidos da Tijuca

Os primeiros sambas-enredos geralmente possuíam apenas a primeira parte do samba, para que os intérpretes pudessem improvisar a segunda parte do samba. Porém, em 1946 esse modelo já não foi mais permitido. 

Com o passar dos anos o samba-enredo que fazia parte apenas um adicional para as escolas de samba desfilarem, passou a ser obrigatório e requisito para avaliação para a nota final do campeonato entre as agremiações. 

Os critérios utilizados para avaliação de um bom samba-enredo é a facilidade da letra, a criatividade, o tema e se os próprios torcedores e comunidade da escola sabem e cantam com empolgação toda a letra. 

Já no final do ano, mas principalmente nos primeiros meses que antecedem o carnaval, muitas pessoas já estão decorando a letra para fazer bonito na avenida e torcerem cantando a letra com todo o amor que tem pela escola. 

A rixa entre Rio de Janeiro e São Paulo: Nunca nem vimos

As cidades do Rio de Janeiro e São Paulo são conhecida por várias “rixas” entre as culturas locais de cada localidade. É claro que as rixas (“É bixcoito ou é bolacha?”) não passam de verdadeiras brincadeiras que os próprios brasileiros gostam de fazer entre si quando o assunto é defender a cidade em que nasceu. 

Mesmo que o samba tenha nascido apenas na Bahia no século 19, foi no Rio de Janeiro onde ele se consagrou. São Paulo também esteve à altura para fazer um carnaval digno, tendo hoje sua própria avenida para o desfile das escolas. 

A grande graça do carnaval é que cada estado tem a sua forma de fazê-lo. Então, se você passar o carnaval seja em São Paulo ou no Rio, vai perceber que cada um coloca a própria emoção de um jeito diferente, enriquecendo ainda mais a cultura brasileira. 

Os melhores sambas-enredos

Que tal relembrar os sambas que marcaram épocas? Você provavelmente deve conhecer alguns deles. Então, vamos lá?

Peguei um Ita no Norte – Salgueiro (1993)

Explode, coração, na maior felicidade. É lindo o meu Salgueiro, contagiando, sacudindo essa cidade”. Esse refrão não é estranho para você? Você já deve ter ouvido alguém cantar por aí, mas a realidade é que ele faz parte de um dos maiores sambas-enredos da escola carioca Salgueiro que levou o título em 1993. 

E Por Falar em Saudade – Caprichosos de Pilares (1985)

Uma das grandes saudades do carnaval carioca é o samba-enredo da Caprichoso de Pilares que fez muita gente se emocionar na avenida. 

E o povo na rua cantando… É feito uma reza, um ritual… – Portela (2012)

Trazendo um axé todo espiritual para a avenida, um dos sambas mais recentes da Portela também emocionou. 

A Ópera dos Malandros – Salgueiro (2016)

Um dos sambas que mais levantou o público foi a Ópera dos Malandros da escola carioca Salgueiro. Não precisava ser salgueirense para saber de cabeça todo o refrão. 

Liberdade, Liberdade! Abra as asas sobre nós – Imperatriz Leopoldinense (1989)

O samba que consagrou a Imperatriz como campeã do carnaval de 1989 não poderia ser diferente. Inclusive, esse samba é considerado por muitos como um dos melhores de toda a história do carnaval carioca.

É Hoje O Dia – União da Ilha (1982)

Imortalizada na mente de muitos cariocas dos anos 80, o refrão “Diga, espelho meu, se há na avenida alguém mais feliz que eu” ganhou o coração de milhares que têm adoração por uma das escolas mais divertidas do grupo especial. 

O Tititi do Sapoti –  Estácio de Sá (1987)

Até hoje o refrão “Que tititi é esse que vem da Sapucaí, tá que tá danado, tá cheirando a Sapoti” é relembrada em edições do carnaval do Rio e do Brasil inteiro. Os anos 80 presentearam os brasileiros com sambas-enredos inesquecíveis e esse é mais um deles. 

Mais sobre música brasileira

A música é realmente uma paixão nacional. O Brasil é um berço de grandes artistas, dos mais diversos estilos musicais.

Um dos principais palco para os músicos foi o rádio! Quem tem um pouco mais de idade, pode se lembrar da Época de Ouro do Rádio Brasileiro. E, como nós adoramos uma história, contamos um pouco sobre essa era, no post: A Era de Ouro do rádio: relembre os principais nomes.

Esperamos que tenha uma boa leitura!

Gostou do nosso conteúdo? Então, que tal compartilhar esse texto na suas redes sociais e relembrar as memórias com seus amigos e familiares? Será que eles lembram do melhor carnaval da vida deles? Descubra agora e conte para a gente depois.

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *