Quando você pensa em propaganda de refrigerante, qual memória vem à sua cabeça? Peças de divulgação são feitas para influenciar nossa opinião e compra e, por essa razão tentam provocar sensações e unir elementos que tornem a mensagem inesquecível.

Para que você tenha uma ideia do poder das propagandas, tente se lembrar da campanha “Só tem Pepsi, pode ser?”. A inspiração veio da vida real para gerar impacto na vida real. Muitas vezes, ao pedir por uma Coca-Cola, o consumidor ouvia do garçom o já referido “só tem Pepsi, pode ser?”.

A propaganda indaga: “já pensou que o ‘pode ser’ pode ser muito bom?”. Nem todo mundo topava, mas depois da propaganda, é provável que diversas pessoas tenham optado por responder que “pode ser!” para entrar na brincadeira. Algo que, como haveria de ser, levava à concretização da venda da Pepsi.

É com esse exemplo em mente que partimos para nossa lista de 6 propagandas de refrigerante que estão entre as melhores já feitas no país. Veja só!

Pipoca com Guaraná

O Guaraná é tido como um refrigerante genuinamente brasileiro por ser feito à base do xarope da fruta guaraná, que é originária da Amazônia, ainda que também encontrada no Peru, na Colômbia e na Venezuela.

O uso do xarope da fruta começou no Brasil em 1905, mas foi só em 1921, após fazer algumas adaptações de saber, com a Antarctica lançou o Guaraná Champagne Antarctica ― a primeira versão da bebida que conhecemos até hoje.

Durante anos, o Guaraná foi sucesso de vendas no Brasil, chegando a ser o segundo refrigerante mais popular entre os consumidores e tendo entre seus clientes fiéis crianças e adultos.

Buscando atingir e conquistar também o público adolescente, a marca criou uma nova campanha. “Pipoca na panela, começa a arrebentar! Pipoca com sal, que sede que dá! Pipoca e Guaraná, que programa legal…”. Esses eram os primeiros versos do jingle usado em uma propaganda do refrigerante Guaraná, em 1991.

A associação entre a bebida e a pipoca, alimento muito consumido em cinemas, criou no imaginário coletivo uma combinação capaz de agradar a todos. A ideia ficou tão “grudada na cabeça” que tem gente que, até hoje, sabe cantar a música e costuma se lembrar dela sempre que decide comer pipoca ou assistir a um filme.

Tio da Sukita I, II e III

Sempre que a conversa são as propagandas de refrigerante, as peças do “Tio da Sukita” são mencionadas.

A Sukita é um refrigerante de laranja que foi lançado no Brasil em 1976 e, ao longo do tempo, passou por algumas mudanças de visual e abordagem para tentar ampliar seu leque de consumidores.

Em 1999, a Sukita decidiu focar no público jovem, apostando em um reposicionamento de marca seguindo uma estratégia global da AmBev. Foi assim que um layout moderno e a aposta no bom humor fizeram o refrigerante voltar a ser sucesso de vendas após três anos longe da mídia.

A primeira propaganda da campanha contava com um “tio” (Roberto Arduim) ou seja, um homem adulto de meia-idade, e uma adolescente (Michelle Machri) que ostentava sua garrafa de Sukita. Dentro do mesmo elevador, o tio tenta puxar conversa com a bela moça, mas acaba sendo rejeitado por ela, levando ao slogan “Quem bebe Sukita não engole qualquer coisa”.

Outros dois comerciais foram feitos seguindo a mesma ideia, mas em circunstâncias diferentes da do elevador. Novamente o “tio” tentando se aproximar da moça e ela, muito sagaz, encontrando um jeitinho de estragar os planos do vizinho mais uma vez.

Nova propaganda

Por anos e anos, as propagandas do “Tio da Sukita” foram origem de brincadeiras e piadas entre os brasileiros. Algo que, por consequência, manteve o nome do refrigerante na memória de todos.

Quando uma propaganda de refrigerante faz sucesso por tanto tempo, pode ser uma boa ideia tentar resgatá-la da memória das pessoas e recriá-la de alguma forma. Foi isso o que a Sukita fez, em 2018.

O “tio”, novamente interpretado por Roberto Arduim, foi chamado para reviver uma cena no elevador em companhia de uma moça mais jovem. O produto da vez, ao invés da versão tradicional da bebida, era o refrigerante em cápsulas ― uma novidade considerada muito moderna.

Nessa nova propaganda, parece que a sorte do “tio” vai mudar porque, como a Sukita, ele também encontrou formas de se modernizar. As cabeças pensantes por trás da propaganda, porém, criaram um roteiro que mantém a ideia original.

https://www.youtube.com/watch?v=XiFcLktgI0s

Natal Coca-Cola

A Coca-Cola é uma bebida à base de noz-de-cola, folha de coca e outros ingredientes. Criada nos Estados Unidos em 1886, chegou ao Brasil em 1941, durante a Segunda Guerra Mundial. 

Seguindo a ideia de apostar no apelo emocional em suas campanhas, a Coca-Cola criou o “Natal Coca-Cola”, lançado em 1995. A maior parte do comercial original mostra um caminhão da marca, pintado em sua cor vermelha tradicional, e devidamente iluminado para as festividades de fim de ano. 

A música simples com “O Natal vem vindo, vem vindo o Natal! Está chegando, comemore essa festa! Sempre Coca-Cola” é cantada até hoje, seja em peças publicitárias ou em carreatas do caminhão da marca que, de fato, sai pelas ruas de diversas cidades do Brasil durante o mês de dezembro.

No site da marca, você pode conferir as cidades e rotas da Caravana Natal Coca-Cola anualmente e relembrar toda a magia que começou com uma simples propaganda de refrigerante.

Razões para acreditar

A marca é conhecida por fazer propagandas de refrigerante e peças publicitárias inovadoras. Em 2011, para celebrar seus 125, a Coca-Cola lançou a campanha “Existem razões para acreditar. Os bons são maioria — Abra a felicidade”.

Com uma mensagem cujo foco passava longe de ser a bebida, a ideia era difundir os valores da marca e conquistar o público pela identificação a uma mensagem positiva e esperançosa.

Assim, a Coca-Cola conseguiu fazer com que as pessoas associassem o refrigerante e a marca, de um modo geral, à momentos de felicidade.

Pode até ser que as pessoas já não se lembrem da mensagem — que é longa, diferente do slogan da Sukita, por exemplo —, mas o objetivo era criar, de forma subliminar, a ideia de que uma Coca-Cola cai bem em todos os momentos.

Gostou do post? Ficou faltando alguma propaganda? Conte pra gente nos comentários e aproveite para refrescar a memória relembrando refrigerantes antigos!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *