Você já reparou como as formas de pagamento se modernizaram ao longo dos anos? Quem é um pouco mais novo sequer conheceu aquelas máquinas antigas de passar cartão e, agora, temos até pagamento por aproximação.

Aliás, o que você sabe sobre essa nova tecnologia? De um lado, há muita praticidade nessa forma de pagamento e, de outro, certo receio pelo risco de acabar sendo vítima de gente mal-intencionada.

Neste post, vamos falar sobre essas e outras questões envolvendo o pagamento por aproximação. Siga em frente e boa leitura!

O que é esse tal de pagamento por aproximação

O pagamento por aproximação é aquele que é feito sem que haja qualquer tipo de contato físico entre pagador e maquininha ou qualquer que seja o dispositivo.

Em outras palavras, é uma tecnologia que te permite pagar sem precisar inserir o cartão na maquininha e nem digitar sua senha.

Essa forma de pagamento também é chamada de contactless ou, no bom e velho português, “sem contato”. A tradução ajuda a entender por que isso é tão interessante, não é mesmo?

Pode ser que você já tenha reparado que cartões de crédito mais novos estão vindo com um símbolo parecido com o da internet wi-fi.

O que temos é uma tecnologia que possibilita que, para pagar algo no débito ou no crédito, você só precise aproximar o cartão da maquininha e pronto: transação realizada!

Para além do cartão físico

Cartões físicos não são a única forma de aproveitar a tecnologia de pagamento por aproximação, porém.

Muitos smartphones vêm com aplicativos de carteiras digitais nas quais é possível cadastrar cartões e usar o próprio dispositivo para fazer o pagamento contactless.

Considerando dispositivos mais modernos, já existem até mesmo pulseiras que podem ser usadas para o mesmo fim.

Alguns eventos, como o festival musical Popload, já passaram a contar com pulseiras cashless ou “sem dinheiro” que podem ser carregadas e evitam que as pessoas precisem levar algum tipo de dinheiro ou cartão físico ao evento.

Se você já começou a imaginar como tudo isso funciona, ótimo! Logo vai confirmar se suas suspeitas estão corretas ou ampliar seus conhecimentos sobre o assunto.

Vai saber também se essa tecnologia é segura e, portanto, se pode ser realmente útil.

Como essa tecnologia funciona

Agora você já sabe que o pagamento por aproximação pode ser feito usando cartões que foram desenvolvidos com essa funcionalidade ou carteiras digitais. Hora de entender qual é a tecnologia que está por trás de tudo isso.

Vamos destacar duas tecnologias que permitem que o pagamento por aproximação funcione: o NFC e a RFID.

NFC ou Near Field Communication significa Comunicação por Campo de Proximidade. Trata-se de uma tecnologia que deriva do RFID ou Radio Frequency Identification que, em português, significa identificação por radiofrequência.

Sabe aquele sistema que permite a um veículo (e seu motorista, claro) passar direto por um pedágio sem parar na cancela? Esse sistema de pagamento automático funciona por RFID.

O RFID é um velho conhecido, tem mais de 50 anos. Já o NFC surgiu no início dos anos 2000. A diferença entre as duas tecnologias? É simples e é o que ajuda a garantir a segurança no pagamento por aproximação: a distância de funcionamento.

O RFID pode funcionar a uma distância de 100 metros. Voltando ao exemplo, isso significa que 100 metros antes de chegar à cancela do pedágio, o sistema já faz a conexão para que a cancela se levante e permita a passagem do veículo.

Por sua vez, o NFC funciona a uma distância entre quatro e dez centímetros. Isso significa que você precisa aproximar consideravelmente o cartão da maquininha para efetuar o pagamento.

Por que isso é bom? Ora, porque assim não há risco de que uma maquininha que esteja distante de você ative seu cartão sem que você veja.

Um ponto importante sobre essa tecnologia

Vale completar que, o NFC foi desenvolvido para possibilitar a comunicação entre dois dispositivos e entre esses dois dispositivos apenas. Algo que diferencia essa tecnologia do wi-fi ou do bluetooth e aumenta sua segurança.

Por que? Se você usa internet wi-fi, sabe que qualquer pessoa que tenha a senha pode acessá-la. Em casa, criamos senhas e as compartilhamos com pessoas de confiança, mas se a informação vazar, a rede se torna acessível até a estranhos.

De forma similar, um sinal de bluetooth pode ser captado por mais de um dispositivo ao mesmo tempo, gerando algum tipo de conflito ou até colocando em risco a privacidade dos envolvidos.

Com o NFC, isso não acontece porque somente o dispositivo pagador vai ser capaz de se comunicar com o dispositivo receptor naquele intervalo de tempo em que o pagamento por aproximação é feito. Em seguida, a conexão entre eles acaba e pronto.

Como usar o pagamento por aproximação

Você já deve estar entendendo que precisa aproximar o cartão ― ou o celular ou o smartwatch ― da maquininha para efetuar a transação, certo?

Ainda que nunca tenha usado seu cartão de débito ou crédito dessa forma, é provável que você já conheça essa tecnologia e até saiba como usá-la.

Isso porque o NFC está presente nos cartões do transporte público e também em muitos crachás usados para liberar o acesso a prédios comerciais.

A diferença é que você vai aproximar seu cartão, celular, smartwatch ou pulseira da maquininha da loja e, em seguida, conferir se tudo correu bem.

Como o pagamento acontece

O pagamento só acontece quando a loja insere na maquininha o valor da compra e, então, você aproxima seu cartão do aparelho.

Isso significa que, antes de aproximar o cartão você pode conferir o valor e as parcelas como faz normalmente.

Ainda, se você tiver o app do banco em seu celular, tão logo a transação for realizada, poderá verificar o valor da transferência aprovada pela instituição bancária.

As vantagens do pagamento por aproximação

No Brasil, o pagamento por aproximação vem se tornando conhecido e utilizado pouco a pouco. Ainda não são todos os cartões ou maquininhas que funcionam dessa forma, mas os modelos mais novos contam com a tecnologia.

Essa forma de pagar sem contato começou a ganhar popularidade em razão da pandemia da Covid-19. Isso porque, para evitar o contágio, aprendemos a evitar o contato com superfícies que podem apresentar algum risco.

Assim, essa (não tão) nova tecnologia passou a chamar mais atenção e ganhar forças. Uma vantagem você já sabe! E quais as outras?

Praticidade e agilidade

O pagamento por aproximação é inegavelmente prático. Basta aproximar seu cartão, celular, smartwatch ou pulseira e pronto.

Isso faz com que o pagamento seja realizado de forma mais rápida, o que tende a nos garantir um pouco mais de tempo disponível para aproveitar como quisermos ao invés de presos na fila do caixa.

Segurança

Sabe aquele medo que todo mundo sente de ter um cartão clonado? Na maioria das vezes, esse problema acontece justamente quando o cartão é inserido no terminal de pagamento.

Além do mais, com o pagamento por aproximação, você tem mais um motivo para evitar sair de casa com dinheiro vivo no bolso ou na bolsa.

Há quem defenda que pagamentos feitos com a tecnologia NFC são mais seguros do que outros meios de pagamento.

Entre os motivos estão os fatos de que a tecnologia NFC funciona por criptografia de dados, além de ser protegida contra pagamento duplicado.

Ainda, se você usa seu smartphone para o pagamento por aproximação, pode ativar e desativar a função quando quiser e ainda conta com uma etapa de validação para confirmar a compra.

O mesmo vale para os cartões, sendo que é preciso recorrer ao aplicativo banco para desativar a função, podendo ativá-la novamente em outro momento.

Os desafios do pagamento por aproximação

Como nem tudo é um mar de rosas, é certo que o pagamento por aproximação também tem suas desvantagens ou desafios. Confira:

Adaptação

A tecnologia usada no pagamento por aproximação já não é tão nova, mas muitas pessoas ainda não se acostumaram a ela.

O processo de adaptação pode gerar insegurança, sobretudo para quem não entende como o pagamento funciona. Assim, pode ser que algumas pessoas resistam e acabem preferindo usar formas já conhecidas de pagar suas compras.

Segurança

Opa! Segurança de novo? Sim, porque apesar de haver vantagens, há também o desafio.

Pessoas mal-intencionadas podem se aproveitar de lugares cheios para aproximar a maquininha de cartão do seu bolso ou bolsa. Ou seja, onde seu cartão possa estar guardado.

A ideia é tentar ativar a transação, que só acontece quando o cartão e a maquininha se comunicam. Em alguns casos, isso pode dar certo e o dinheiro vai ser transferido sem que a vítima veja.

O “case” do Carnaval de 2020

Tendo a segurança como uma vantagem e um desafio, é válido abordar um pouco mais o assunto trazendo um fato ocorrido aqui no Brasil.

No Carnaval de 2020, quando a tecnologia de pagamento por aproximação já estava sendo utilizada, alguns órgãos ― entre eles, o Procon de São Paulo ― chegaram a alertar os foliões sobre um golpe envolvendo esse tipo de solução.

A ideia por trás do alerta era justamente a que mencionamos: a possibilidade de uma pessoa mal-intencionada se aproximar do seu bolso ou bolsa e realizar uma cobrança.

Seria como se um pagamento fosse feito com seu cartão contactless sem que você se desse conta.

Porém, isso não é algo tão simples de ocorrer. Os dispositivos pagador e recebedor devem estar bem próximos para que uma transação aconteça, assim, há boas chances de que você perceba uma aproximação indevida e evite o problema.

Em todo caso, se você percebeu que seu cartão funciona para pagamento por aproximação e não gostou dessa possibilidade, saiba que é possível desabilitar a função.

Conclusão

O pagamento por aproximação tem tudo para trazer mais praticidade para sua vida e de forma segura.

Basta um pouquinho de força de vontade para se acostumar com uma nova tecnologia e atenção para que tudo corra da melhor forma e, claro, conhecimento.

Sabendo como tudo funciona, você pode se precaver contra possíveis golpes, inclusive decidindo quando habilitar ou não a função do pagamento por aproximação.

Gostou? Deixe seu comentário e conta pra gente se você já usou o pagamento por aproximação e como foi a experiência!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *