Realidade virtual é algo do que você provavelmente já ouviu falar e até consegue ter uma ideia do que seja. Mas, para além de ideias e suposições, você sabe mesmo do que estamos falando?

O conceito de realidade virtual está entre nós pra mais de século e habita o imaginário dos seres humanos ― assim como os filmes de ficção científica ― há bastante tempo.

Só recentemente, porém, começamos a realmente ter oportunidades de vivenciar essa realidade de forma mais dinâmica e significativa. Quer saber mais? Siga em frente e boa leitura!

O que é realidade virtual

Nada mais justo do que começar a explicação sobre o que é realidade virtual ou virtual reality (VR) apresentando seu conceito:

“A realidade virtual é um ambiente artificial criado com software e apresentado ao usuário de forma que o usuário a aceite como um ambiente real. Em um computador, a realidade virtual é vivenciada principalmente por dois dos cinco sentidos: visão e som”.

Em outras palavras, a realidade virtual é um ambiente digital que, ainda que seja interativo, deve ser encarado como outra realidade. Os sentidos ― incluindo o tato, além da visão e da audição ― podem ser explorados na VR de modo a torná-la crível, de modo a fazer com que ela pareça verdadeira.

Para tanto, o software ou “programa de computador” utilizado apresenta ao usuário um cenário e objetos que parecem reais. Mas se essa ideia de ser transportado para outra realidade parece futurística, sabe que que tudo começou muitos anos atrás.

A primeira invenção de realidade virtual

Acredita-se que os esforços para dar vida à realidade virtual começaram antes, mas a primeira invenção registrada data de 1838. Trata-se do estereoscópio, instrumento inventado pelo físico Sir Charles Wheatstone.

O estereoscópio permite que dois pares de fotografias ligeiramente distintas sejam vistas de pontos diferentes, com uma imagem sendo apresentada a cada olho. Como resultado, a sensação produzida é de que a fotografia ganha contornos tridimensionais que permitem a quem a visualiza “entrar” dentro da cena.

Diferença entre realidade virtual e realidade aumentada

Se você se interessa por assuntos relativos às tecnologias, pode ser que também já tenha ouvido o termo realidade aumentada. Por isso, cabe uma diferenciação com relação à realidade virtual.

A realidade aumentada ou amplified reality (AR) não cria uma realidade inteiramente nova como propõem a VR. Diferente disso, mescla elementos do mundo real com elementos digitais. É o que permite, por exemplo, que usando um equipamento adequado você enxergue uma maçã digital em cima da mesa real de sua casa.

Como a realidade virtual funciona

Voltando o foco somente à realidade virtual, é hora de entender como essa tecnologia funciona. Para facilitar a compreensão, não vamos nos aprofundar em questões técnicas que podem acabar se transformando em um verdadeiro enigma para os leigos no assunto.

O que você precisa saber é que a realidade virtual depende de um software desenvolvido com este fim para existir. O estereoscópio foi o primeiro instrumento criado para este propósito e, como haveria de ser, de lá pra cá as coisas evoluíram bastante.

Atualmente, os softwares criados podem rodar em computadores, notebooks, tablets, smartphones ou consoles de videogame. Além disso, é necessário um dispositivo, uma espécie de óculos, que deve ser colocado pelo usuário.

Um óculos de realidade aumentada não é como um óculos comum. Dentro dele há uma tela e todas as suas laterais são fechadas (como uma máscara de mergulho). Além disso, o acessório é escuro para impedir que o mundo exterior interfira na experiência.

A visão estereoscópica que consiste na sobreposição de duas imagens em 2D ligeiramente diferentes para formar uma imagem em 3D no campo de visão do usuário é a estratégia utilizada.

Uma vez com o óculos, o usuário passa a enxergar a realidade digital apresentada na tela como se fosse a realidade em que está verdadeiramente inserido.

Para garantir um efeito mais impactante, é comum que a VR se faça valer também do uso de fones de ouvidos que abafam o som do mundo externo e apresentem sons do mundo digital. Algo que favorece ainda mais a imersão do usuário na nova realidade apresentada.

As aplicações de realidade virtual

Com tudo isso, ao colocar os acessórios de realidade virtual, o usuário basicamente passa a viver em outro mundo por um tempo. Agora, para quê esse tipo de tecnologia serve?

Um dos usos mais conhecidos da realidade virtual são os jogos. Em um simulador de VR, o usuário pode entrar em um mundo digital completamente diferente do real onde precisa lutar contra esqueletos que vêm em sua direção.

Parece tudo tão real, ainda que tenhamos plena convicção de que esqueletos não podem dominar a Terra e sair atacando os humanos, que as pessoas se assustam, ficam agitadas, mas acabam se divertindo pra valer.

Há ainda outras aplicações que nos ajudam a entender para que serve a realidade virtual. Vamos a algumas delas:

Treinamento

Como consumidor, você sabe que um atendimento de qualidade pode influenciar e muito a sua experiência e satisfação com uma compra, não é mesmo?

Grandes empresas como o Wallmart também sabem disso e podem até mesmo se valer da realidade virtual para preparar seus funcionários. É isso o que a gigante multinacional faz.

Usando dispositivos de realidade aumentada, o Wallmart coloca seus funcionários em situações fictícias de contato com clientes em situações recorrentes ou inusitadas.

O objetivo é melhor prepará-los para atender bem e saber agir sobre pressão caso um problema aconteça ou algo saia do controle nas lojas;

Turismo

Viajar é uma experiência incrível. É comum a quem gosta de conhecer lugares novos ter o hábito de buscar recomendações e opiniões sobre outras pessoas que já estiveram em determinado local.

Ainda que a estratégia seja bastante útil e recomendada, o que é um lugar maravilhoso na opinião de um de seus colegas pode ser apenas “mais do mesmo” para você. Com isso, a VR pode ser usada para evitar decepções.

Basta colocar os óculos e entrar no universo que reconstrói a realidade do destino desejado. Assim, você pode ter uma noção mais clara de se realmente vale a pena fazer a viagem.

Ainda, a realidade virtual tem sido usada para apresentar aos turistas locais menos badalados de seus destinos. Há pontos mundo afora que merecem ser visitados, mas que são pouco explorados por nós.

O uso da VR está ajudando a instigar pessoas a querer conhecer outros locais e explorar ainda mais o mundo;

Saúde

Na área de saúde, os dispositivos de realidade virtual têm sido utilizados principalmente para que médicos treinem a realização de procedimentos cirúrgicos. Algo que aumenta as suas chances de sucesso em operações da vida real.

Ainda, a VR tem sido utilizada em terapias de exposição que têm por objetivo o tratamento de fobias. Uma pessoa com medo excessivo de aviões, por exemplo, pode ser exposta a uma realidade digital para se acostumar e se tranquilizar antes de viver a experiência real.

Por fim, vale mencionar a que a realidade virtual também tem sido útil para garantir uma vida mais leve e divertida para idosos e outros pacientes em internação prolongada. Os dispositivos ajudam a levá-los a outra realidade, afastando-os um pouco da vida no hospital.

Gostou do post e quer aprender mais sobre inovações? Leia sobre o que é inteligência artificial e fique por dentro desse assunto também!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *