Já faz um tempo que o assunto segurança na internet é debatido. Ganhou mais forças com a Lei Geral de Proteção de Dados e alarmou muita gente quando notícias de vazamento de dados vieram a público.

E você com tudo isso? Bom, você precisa se proteger para continuar aproveitando o que a internet tem a oferecer sem correr riscos e tendo mais noção sobre o uso dos seus dados.

O que é Lei de Proteção de Dados

Quando alguma coisa envolve uma lei, chama a nossa atenção, não é mesmo? Por isso, vamos logo começar te contando o que é essa tal Lei Geral de Proteção de Dados ou LGPD.

A lei nº 13.709 passou a valer em agosto de 2020 e determina regras sobre coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais por empresas.

Seu objetivo passa por aumentar a proteção dos internautas e impõe penas a quem descumprir as regras.

Pode ser que você tenha notado que, desde então, ao entrar em um site você precisa confirmar se aceita o monitoramento de dados ou não.

É que, por diversos fatores, dados pessoais são coletados quando navegamos pela internet. Até antes da LGPD, isso acontecia sem muita regulação, mas isso mudou.

O que tudo isso significa? Com a Lei de Proteção de Dados, você precisa dar seu consentimento explícito para que seus dados sejam coletados.

Além de simplesmente consentir (ou não) você pode visualizar a Política de Privacidade dos sites e configurar quais informações podem ou não ser coletadas em cada caso.

Importante saber: alguns “cookies” são necessários para que um site funcione e não é possível desativá-los ao editar as configurações de privacidade.

A lei e os vazamentos de dados

Com a Lei Geral de Proteção de Dados, conseguimos ter mais controle sobre nossos dados pessoais. Isso nem sempre nos livra de uma situação de vazamentos.

Em janeiro de 2021, por exemplo, um “megavazamento” expôs os dados de 223 milhões de brasileiros. Informações como CPF, endereços, fotos de rosto e até Imposto de Renda foram parar em mãos desconhecidas.

Esse tipo de coisa assusta, não é mesmo? Em geral, são cibercriminosos que estão por trás de problemas assim. Seu objetivo é vender dados em um mercado ilegal para quem quer que tenha interesse e, claro, muito dinheiro.

Sabendo disso, temos algumas informações relevantes:

  • Com a LGPD, toda empresa que coleta dados é obrigada a adotar medidas de proteção para assegurar a privacidade dos internautas.
  • Sim, um cibercriminoso ainda pode ser capaz de driblar essas medidas, mas é fundamental que elas sejam adotadas e isso tende a ser feito.
  • Por que? Porque as empresas sabem que podem sofrer consequências caso um vazamento de dados ocorra. Por essa razão, é do interesse delas proteger seus clientes e quem mais acessa seu site.
  • Independentemente disso, vale a pena ter cuidado e, se você achar válido, revisar a política de privacidade e configurar a coleta de dados;
  • Em caso de vazamento de dados, o “controlador”, ou seja, quem coletou os dados, deve comunicar às autoridades nacionais e os titulares dos dados roubados;
  • Ao saber de um vazamento, você tem direito de pedir que a empresa envolvida no problema te informe se seus dados foram vazados.
  • A qualquer momento, você também pode:
    • Requerer que dados incompletos ou errados sejam corrigidos;
    • Pedir que seus dados sejam totalmente desvinculados das informações de reconhecimento pessoal;
    • Solicitar que seus dados pessoais sejam eliminados dos registros, mesmo que você tenha dado consentimento antes. É possível revogar o consentimento de coleta e uso.

Assim, com a Lei Geral de Proteção de Dados, você tem mais chances de evitar problemas, mas os riscos apresentados pelos criminosos, infelizmente, ainda existem.

Como aumentar a sua proteção ao navegar na internet

Mesmo com a LGPD, tem gente que escolhe simplesmente “aceitar cookies” em todo e qualquer site porque, verdade seja dita, é mais fácil.

Essa é uma opção dada a todos, mas é preciso ter clareza que essa escolha representa o tal consentimento para coleta de dados pessoais.

Para além disso, que tal algumas dicas de como proteger seus dados? Acompanhe:

  • Mantenha softwares e aplicativos atualizados, seja no computador ou no celular. As atualizações, além de apresentar novidades, corrigem falhas de segurança;
  • Tenha cuidado com o recebimento de mensagens não solicitadas, sobretudo se abordarem a atualização de um cadastro e/ou tiverem links desconhecidos;
  • Não salve dados de pagamentos em sites ou aplicativos ao fazer compras online. É mais prático quando podemos salvar, mas convém evitar o risco de um vazamento de dados;
  • Ajuste as configurações de privacidade nas redes sociais e confira as permissões dadas a cada aplicativo. Se um app tem acesso a um dado irrelevante para o seu funcionamento, revogue esse acesso!
  • Ative a verificação em duas etapas em suas contas e aplicativos. Assim, se alguém tentar um acesso, você conseguirá impedir, evitando que seus dados sejam expostos;
  • Não use seu perfil nas redes sociais para fazer login em outros sites, apps ou serviços.

Pode ser mais fácil usar esse recurso, mas você acaba dando a todos acesso às mesmas informações e isso pode ser arriscado;

  • Evite o uso de redes de wi-fi públicas. Seus níveis de proteção costumam ser baixos e os cibercriminosos se aproveitam disso para acessar dispositivos e roubar dados sensíveis;
  • Na dúvida, pesquise ou peça ajuda a alguém de sua confiança. Há sempre boas informações online ou junto a um familiar ou amigo mais antenado nos perigos da internet.

Conclusão

Diferente do que muitos costumam dizer, a internet não é uma terra sem lei. De fato, é mais difícil lidar com o cibercrime, descobrir e penalizar culpados, mas não nos resta apenas desistir e aceitar.

A Lei Geral de Proteção de Dados é uma das provas de que há uma preocupação crescente com a privacidade dos internautas. Já que ela existe, é importante que saibamos sobre e a usemos a nosso favor.

Esperamos que o post tenha sido útil, inclusive com mais dicas de como proteger seus dados e evitar preocupações!

Se você gostou, aproveite e leia também: Dica de segurança ― O que é e como usar a autenticação de dois fatores!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *