Se você perguntar para algum de seus avós sobre a Jovem Guarda, provavelmente, além de encontrar um fã pode também encontrar boas histórias sobre o movimento cultural dos anos 60 que marcou o Brasil. 

Com influências do rock and roll, foi um dos movimentos de maior popularidade entre os jovens, trazendo uma quebra de paradigmas e de estilos.

Para a época o que era considerado muito “a frente do tempo”, conseguiu trazer para os tempos de hoje uma libertação na forma de se expressar. 

Hoje, a Obabox relembra o movimento e traz nesse texto curiosidades, um pouco da história e tudo o que você precisa saber. 

Esperamos que goste da leitura!

A Jovem Guarda

Por mais que hoje seja um dos movimentos aclamados pela cultura brasileira, nos anos 60 o surgimento do movimento sofreu com inúmeras críticas. Por trazer um toque americanizado, músicos reconhecidos da MPB não curtiam nada essa nova influência. 

Para alguns, era até uma desonra trazer a guitarra elétrica para compor as melodias da músicas, o que fez surgir até passeata para tentar barrar essa ação.

A Marcha Contra a Guitarra, liderada pela cantora Elis Regina, tinha o objetivo de falar que a música brasileira não podia ser influenciada por instrumentos que fossem de fora, pois perderia a característica central da música brasileira. 

Os protestos não deram muito certo. O que restou foi a própria crítica especializada da época dar os seus pitacos dizendo que a música era pobre de melodias, de letra e alienante.

Bom, ainda que sofresse com ataques de muitos lados, a Jovem Guarda ganhou ainda mais espaço, principalmente em programas de televisão

Algumas pessoas que acompanharam a época diziam que o movimento era tão popular pelo público que quando alguma banda tocava na tv, os estádios de futebol ficavam vazios em dias de jogos. 

A Jovem Guarda não tinha o objetivo de fazer política em suas músicas, ao contrário da maior parte dos movimentos de MPB. O apelo musical dos mesmos eram voltados apenas a falar de questões corriqueiras ou de pura diversão.

Basta analisar algumas letras e você verá questões de relacionamento e observações de uma vida comum e normal. 

Tendo noção disse, a TV Record deu o pontapé inicial de aproveitar esse chamariz de atenção para criar seus primeiros musicais.

Na época Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléia conseguiram fazer o seu nome e conquistar milhares de jovens. 

O movimento também influenciou o comportamento

Gírias, cabelo, roupas e tudo o que você possa imaginar receberam influência da Jovem Guarda. O estilo americanizado estava pegando por aqui e cada vez mais era possível ver a influência de pessoas como Elvis Presley e Beatles no cotidiano das pessoas. 

O movimento sertanejo também acabou aderindo à sua maneira ao movimento da Jovem Guarda. O cantor Sergio Reis foi um dos pioneiros no estilo. 

As gírias marcaram o seu tempo. “Broto”, “ficar para a titia” são apenas alguns deles e que volta e meia ainda são resgatados pela geração mais nova como uma forma de admiração.

As calças bocas de sino também são legado da geração Jovem Guarda e que conquistam muitos admiradores do vestuário. 

Talvez você não saiba

  1. Jovem Guarda veio da frase do líder russo Lênin, que dizia: “O futuro pertence à jovem guarda porque a velha está ultrapassada”;
  2. Esse movimento também era chamado de iê-iê-iê como uma referência a música “She loves you” da banda Beatles.
  3. Em 2005, o movimento foi lembrado em diversos shows para comemorar os 40 anos de existência da Jovem Guarda.

Quem brilhou nessa época

Muitos outros nomes conseguiram ter os seus nomes no hall da fama na época que mais brilhou entre os movimentos brasileiros culturais. Conheça agora alguns deles:

Ronnie Von

Conseguiu fazer a sua carreira sozinho e sem participar dos grandes programas de televisão ao lado de Roberto Carlos. Cantando “A Praça” e “Meu bem”, conseguiu despertar a admiração de milhares de fãs. 

Golden Boys

Formado por 4 integrantes, traziam músicas dos Beatles e de outros artistas conhecidos mundialmente para emplacar em território brasileiro. 

https://www.youtube.com/watch?v=99vbHIKBO2k

Wanderley Cardoso

Tendo vendido milhões de cópias de disco, teve na época da Jovem Guarda sua carreira impulsionada para a fama. “O Bom Rapaz” virou a sua marca registrada. 

Rosemary

Conhecida como “A Fada Loura”, participou de vários filmes nacionais, além de programas de televisão. Realizou também grandes turnês pelo mundo;

https://www.youtube.com/watch?v=r-Wr1QulJ7Y

Vanusa

Lançada por Eduardo Araújo, se tornou consagrada na Jovem Guarda como uma das cantoras românticas mais populares da época. Conheceu vários estilos musicais e se aventurou a fazer o que faz de melhor: criar música.

 Os Incríveis

Com um estilo voltado para o twist, trouxeram diversas músicas que faziam sucesso fora do país para serem interpretados em uma versão abrasileirada. A ideia teve boa repercussão. 

The Fevers

Formada em 1963, se consagrou apenas nos anos 80. Traziam para os bailes da época um tom mais musical e dançante. 

Você viu no texto:

  • O movimento da Jovem Guarda não foi bem aceito entre os já conhecidos movimentos da cultura popular brasileira;
  • Com uma chuva de críticas a respeito do estilo, não era um movimento político;
  • Fez sucesso e teve o seu ápice com programas de televisão;
  • Lançou nomes como Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa;
  • Recebeu influência de músicas e artistas americanos, o que para alguns artistas brasileiros era um insulto à cultura brasileira. 

Mais sobre história e curiosidades

Roberto Carlos, Tom Jobim, Chico Buarque… O que esses nomes têm em comum? Além de um grande talento no segmento musical, também fizeram parte dos grandes movimentos da música brasileira que marcaram gerações. 

Então, para relembrar um pouco sobre cada um desses movimentos e os impactos culturais que trouxeram para brasileiros de todas as regiões do país, resolvemos trazer uma indicação de leitura para você.

Não deixe conhecer mais sobre o assunto no texto Aumente o volume: a história dos movimentos musicais brasileiros.

Esperamos que goste da leitura!

Gostou do conteúdo? Esperamos que sim! Então, não deixe de compartilhar esse texto em suas redes sociais com que precisa conhecer mais sobre a Jovem Guarda ou quer relembrar os tempos de ouro.

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *