Gamão, dama, xadrez, carteado e bingo. Esses são os únicos jogos que vêm à sua mente quando você pensa na terceira idade?

Com a inclusão tecnológica de idosos em cena, muitas vovós e vovôs podem se tornar gamers. Bom, talvez não profissionalmente, mas por diversão certamente.

Para este post, trouxemos algumas informações sobre como os games podem ser benéficos para a terceira idade. Confira!

O que é um “gamer”

Se você tem familiaridade com a linguagem e o universo digital, pode ser que já saiba o que é um gamer, mas também pode ser que não.

Em tradução do inglês para o português, gamer pode ser entendido como jogador de videogame no contexto atual.

O termo é muito usado para fazer referência a jogadores profissionais. O que nos leva a ressaltar que o universo dos jogos digitais ou e-games tem sido levado cada vez mais a sério.

Rompendo qualquer “formalidade”, resolvemos brincar com a ideia de uma vovó ou um vovô gamer para falar de pessoas da terceira idade que gostem de jogos eletrônicos ou digitais.

Agora que o termo foi esclarecido, podemos seguir com os benefícios que jogos podem trazer para a vida dos idosos.

Muito além da diversão

Jogo, game, video game, joguinho de computador… Tudo isso te parece sempre relacionado à diversão?

Bom, não há dúvida de que a premissa dos jogos é divertir e entreter, mas muitos estão longe de se limitar somente a isso.

Desde a infância, o ser humano consegue aprender brincando e essa é uma forte evidência de que os games podem entregar mais do que costumamos imaginar.

Um exemplo disso é a gameterapia, uma estratégia que aposta na fisioterapia feita à base de games.

A ideia não é substituir o tratamento fisioterápico convencional, mas contribuir para que o processo de recuperação seja mais divertido e agradável. Algo feito com auxílio da realidade virtual.

Quem já precisou de fisioterapia sabe o quão difícil e, sejamos sinceros, chato pode ser a execução dos exercícios.

Com a gameterapia, o idoso faz os movimentos que teria de fazer normalmente no tratamento, mas tem a oportunidade de encarar tudo de forma mais lúdica. Algo que impacta também seu emocional no processo de recuperação.

Benefícios para o cérebro

Tá pensando que a vovó ou o vovô só vão ter a oportunidade de virar gamers se precisarem de fisioterapia? Nada disso.

A inclusão digital para idosos, especialmente com a existência de dispositivos especialmente desenvolvidos como o ObaSmart 3, permite que a terceira idade tenha a tecnologia no alcance das mãos.

Isso significa que os games também são acessíveis a eles (especialmente se tiverem uma ajudinha de filhos e netos) e que podem se divertir e colher os benefícios que os jogos têm.

Uma pesquisa revelou que “gamers de 70 a 80 anos de idade podem realizar multitarefas de modo similar a pessoas até 50 anos mais jovens“.

Em outras palavras, os games ajudam a manter o cérebro mais jovem. A ideia não é negar a velhice e seus efeitos naturais, mas desfrutar de uma mente mais rápida no dia a dia.

Os pesquisadores acreditam que os games podem ajudar na manutenção da capacidade cognitiva até a melhor idade. Isso tem a ver com:

  • memória melhor;
  • capacidade de concentração maior;
  • raciocínio mais veloz;
  • capacidade melhor de elaborar ideias;
  • criatividade mais presente.

Como você pode ver, existe chance de que os jogos para idosos ajude-os a evitar algumas das questões que costumam ser alvo de reclamações.

Importante! Existem games que demandam estratégia, conquista de novos conhecimentos e por aí vai. Assim, é possível aprender novas coisas, aprimorar habilidades e mais.

Benefícios contra a solidão

Os jogos também podem ser benéficos para a saúde mental, ajudando a manter afastados sentimentos como a solidão.

Em alguns casos, os games contribuem simplesmente por ajudarem as pessoas a ocuparem o tempo de forma lúdica.

Quando a mente volta sua atenção a algo divertido e que traz satisfação, sentimentos ditos negativos podem ocupar menos espaço ou até perder a vez.

Em outros casos, os games colocam os jogadores em contato uns com os outros. A interação pode ajudar a combater a solidão e até render novas amizades.

Há jogos digitais e online dos mais variados tipos. Até mesmo o xadrez, que mencionamos anteriormente, pode ser jogado pelo computador.

Assim, há opções mais tradicionais e outras mais ousadas para a vovó ou o vovô gamer. Em muitas delas, o envolvimento da própria família ― filhos e netos ― pode ser possível.

Importante! Jogos para idosos não são a solução definitiva para a solidão ou para questões de saúde mental.

Outras formas de tecnologia, como as mensagens de WhatsApp e as chamadas de vídeo podem ser usadas para a manutenção de laços importantes.

Apesar disso, sempre que possível e seguro, o contato face a face faz toda a diferença.

Ainda, se há suspeita de um caso clínico de depressão, por exemplo, não espere que os jogos resolvam o problema. A assistência médica é fundamental.

Dicas relevantes

Se você acha legal a ideia de ser um gamer da terceira idade (ainda que não profissionalmente) ou ter uma vovó ou um vovô gamer, comece pelo simples.

Atualmente, quando falamos em gamer, pensamos em jogos bem modernos, com gráficos avançados e computadores poderosos. Entretanto, essa não é a única realidade possível.

A boa e velha paciência que os computadores costumam ter ainda é uma opção! O ideal é casar o uso da tecnologia com um jogo que o gamer considere legal e, claro, que esteja dentro de suas capacidades.

Às vezes, sua vovó ou vovô ainda nem curte tanto tecnologia e precisa vencer essa barreira. Por isso, é importante começar com jogos simples, de preferência que eles já estejam familiarizados.

Aos poucos, e a depender dos interesses de cada um, a situação pode progredir. Mas é bom dizer que se o gamer quiser se manter nos jogos básicos, está tudo bem!

Conclusão

Jogos digitais parecem pertencer aos mais jovens, mas é possível romper barreiras. A verdade é que, havendo interesse, não há motivos para não fazê-lo.

Como vimos, os games podem apresentar diferentes benefícios aos idosos: diversão, aprendizado, melhoria da saúde física, manutenção de um cérebro jovem e melhoria da saúde mental.

Assim, se a ideia te parece boa, abrace-a. Incentive seus avós, apresente jogos, oriente e divirta-se com eles!

Achou o post legal? Aproveite e mande para a vovó ou ou vovô. Quem sabe eles se interessam também!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *