Já fez um Pix? Ainda não? Se seu medo é a segurança, chegou ao post certo para falarmos de como se proteger de golpes com Pix.

O Pix foi apresentado para nós em novembro de 2020. Chegou com a expectativa de se tornar um dos meios de pagamentos mais usados e cumpriu. Logo, deixou TEDs e DOCs para trás e isso tem a ver com a praticidade e a gratuidade.

Acontece que nem tudo é perfeito ― ou nada é perfeito, na verdade. Então, preparamos um post especial para falar de segurança, como evitar golpes e o que fazer caso algo aconteça. Vem com a gente!

A segurança no uso do Pix

Contamos antes tudo o que você precisa saber para usar Pix com segurança e falamos sobre os mecanismos de proteção que essa tecnologia tem.

Isso nos leva a falar dos requisitos básicos para que o Pix possa ser disponibilizado pelos bancos e usado por você e quem mais se interessar:

  1. a criptografia
  2. a autenticação em dois fatores.

A criptografia faz com que seus dados pessoais e bancários sejam transformados em mensagens-código que só são decifradas por um mecanismo decodificador ou por uma chave.

No caso de uma transação via Pix, apenas a outra pessoa ou instituição envolvida nessa troca com você terá a chave que permite a conclusão do processo.

Isso falando de forma bem simples, ok? Há um processo bastante complexo e que garante um elevado nível de segurança para o Pix.

Por sua vez, a autenticação em dois fatores faz com que uma confirmação de dados por duas vias distintas seja necessária para que você possa fazer um cadastro para usar o Pix.

Com isso, se torna difícil que alguém cadastre uma chave-Pix em seu nome e passe a fazer transações para tirar dinheiro da sua conta, por exemplo.

Principais golpes com Pix e como se proteger

Entender sobre o nível de segurança deve aumentar sua sensação de tranquilidade para usar o meio de pagamento e isso é ótimo.

Para minimizar ainda mais qualquer risco, separamos alguns dos principais golpes com Pix para que você possa identificá-los e se proteger.

WhatsApp clonado

Atualmente, um dos problemas mais comuns em relação ao uso da tecnologia tem a ver com a clonagem de WhatsApp. Você já deve ter ficado sabendo de algum caso.

Os criminosos clonam o número da vítima e passam a enviar mensagens aos contatos solicitando transferências de dinheiro. No caso, falamos de uma solicitação de transferência via Pix.

O que acontece? Algum contato desavisado pode acabar acreditando, solicitando a chave-Pix para a transferência e enviando dinheiro para a conta dos criminosos.

Para se proteger desse golpe com Pix

Se você receber um pedido de transferência de uma pessoa conhecida e achar estranho, pode ser uma tentativa de golpe com Pix.

A dica é ligar para essa pessoa e confirmar a história. Atenção: é preciso fazer uma chamada para o número do celular porque o contato via WhatsApp pode ser interceptado pelos criminosos.

E para se proteger da clonagem da sua própria conta no WhatsApp, uma boa dica é habilitar a autenticação em dois fatores, nas configurações do app.

Contato falso da Central de Atendimento

Você desconfia se alguém te liga para pedir dados bancários, mesmo se a pessoa afirmar que é do banco onde você tem uma conta? Se você respondeu “sim”, bom sinal.

Criminosos sabem que nem todas as pessoas tem essa consciência. Por isso, podem entrar em contato, se passando pela central de atendimento do banco, para solicitar informações para um cadastro ou problema relativo ao Pix.

O que acontece? Quem acredita pode ter dados pessoais roubados e usados para fazer transações indevidas.

Para se proteger desse golpe com Pix

Em geral, bancos não solicitam dados pessoais via telefone, sms ou e-mail. Sendo assim, mantenha-se alerta e desligue a chamada. Na dúvida, vale realmente contatar o banco ou o gerente depois e confirmar a situação.

Conta invadida

Pode ser que você tenha dados pessoais e bancários roubados por pessoas mal-intencionadas. Isso pode dar a esses criminosos a chance de acessar sua conta e fazer transações por meio do Pix.

Para se proteger desse golpe com Pix

A invasão de contas geralmente acontece por um descuido nosso. Por isso, tenha cuidado e evite clicar em links suspeitos que cheguem a você por e-mail, WhatsApp ou outras redes sociais.

Desconfie de mensagens que pedem atualização de dados ou sugerem que uma ação que envolve informar dados pessoais ou bancários é necessária. Bancos não fazem esse tipo de solicitação!

Ainda, crie senhas de acesso únicas e complexas ou opte pela autenticação biométrica para evitar que um “espertinho” tire vantagem de você.

O que fazer caso você seja vítima de um golpe com Pix

Sempre que o assunto é dinheiro, a conversa é delicada porque ninguém quer sair perdendo, não é mesmo?

Com isso em mente, reforçamos a importância dos cuidados que mencionamos porque as transações via Pix são instantâneas e não podem ser canceladas. Assim, se você perceber o golpe um minuto depois, pode ser tarde demais!

Caso um problema ocorra de fato, algumas ações válidas após identificar que foi vítima de um golpe com Pix são:

Procurar a polícia para registrar um Boletim de Ocorrência

É importante apresentar todas as provas que você tenha, desde mensagens falsas e conversas com os golpistas até os dados do Pix relativos à transferência feita;

Recorrer ao Procon

Ou a outros órgãos do Poder Judiciário do seu estado. A ideia é buscar a reparação do dano sofrido em razão do golpe com Pix;

Abrir uma reclamação junto ao Banco Central

Caso você não consiga a reparação dos danos, pode contatar o BC contra a instituição que recebeu os valores da transferência.

Vale esclarecer: os criminosos precisam ter uma conta em algum banco para receberem o valor extraído da sua conta via Pix. É essa instituição que deve ser acionada pela reclamação junto ao Banco Central.

Reaver o dinheiro perdido em um golpe com Pix pode ser bastante complicado, mas cabe a você avaliar se a tentativa é válida.

Conclusão

A tecnologia do Pix, em si, é segura e traz bastante praticidade para o dia a dia. Falamos de um meio de pagamentos que funciona bem e que te permite, inclusive, pagar ou receber valores por meio de um QR Code! Isso nos leva a dizer que a tecnologia está a seu favor, desde que você tenha atenção aos golpes.

O problema não é o Pix e sim as pessoas mal-intencionadas que sempre existiram e que inventam novas formas de tentar enganar os outros a cada novidade que surge por aí.

Conhecendo os principais riscos, fica mais fácil saber como se prevenir. Esperamos que o conteúdo tenha te ajudado nesse sentido.

Gostou do post? Compartilhe-o no WhatsApp com a família e os amigos e ajude mais gente a usar o Pix com segurança!

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *