Passatempo, lazer, reflexão e até mesmo conexão com aqueles que dividem a experiência com você: é isso que a ideia de assistir filmes para a terceira idade pode proporcionar. Que tal entrar nessa?

Quando falamos em filmes para idosos ou sobre idosos, nem de longe estamos nos referindo a conteúdos que tendem a agradar somente a este público em específico. Sendo assim, pode ser assistidos por toda a família.

Fizemos uma lista não só de filmes, mas também com séries que abordam a terceira idade. Conteúdos que podem ser úteis para quem já vive essa fase e para quem convive com pessoas mais velhas. Confira!

Uma História Real (1999)

O filme dirigido por David Lynch, como o título indica, é baseado em uma história verdadeira. A obra nos leva a acompanhar Alvin Straight, um senhor de 73 anos que lida com problemas físicos e de saúde.

Alvin fica sabendo que seu irmão Lyle, com quem brigou há uma década e por isso não mantém contato, sofreu um derrame. Diante da situação adversa e contrariando as recomendações de todos, Alvin decide atravessar o estado em que mora para visitar e fazer as pazes com Lyle.

Apesar do drama, Uma História Real é um filme leve que nos faz refletir sobre a importância da família. Ao longo dos anos, é provável que todos nós acumulemos desentendimentos com pessoas queridas e outras situações que nos distanciam. 

A possibilidade de afastar os problemas e melhorar o convívio com nossos familiares certamente vai cruzar sua mente depois de assistir a esse filme para a terceira idade — e, claro, para toda família.

Amor (2012)

Entre os filmes para idosos que escolhemos para este post está Amor, dirigido por Michael Haneke. A obra conta a história de Georges e Anne, um casal de aposentados que é apaixonado por música e que tem uma filha musicista morando do outro lado do país.

Haneke é conhecido por retratar a natureza humana de forma mais crua, o que vai de encontro ao roteiro de Amor que, de fato, não pretende construir uma história romântica.

Amor é, na verdade, uma reflexão sobre a construção e a manutenção de um relacionamento. Um esforço contínuo que mostra que o sentimento se destaca, sobretudo em momentos de adversidade. Está aí algo que gostaríamos que muitos jovens de hoje soubessem, não é mesmo?

Para tratar desse assunto, a trama passa pelo derrame que Anne sofre, tendo metade de seu corpo paralisado. O enfrentamento da situação e dos desafios que ela apresenta mostram realidades que podem ser cruéis, mas que certamente nos fazem pensar sobre a importância do Amor verdadeiro ao longo de toda a vida.

Antes de Partir (2007)

Dirigido por Rob Reiner e com ninguém menos que Jack Nicholson e Morgan Freeman no elenco, Antes de Partir é uma produção que foi bastante aclamada pela crítica.

Na obra, Freeman é Carter Chambers, um homem que é internado em um hospital em razão de um tratamento contra o câncer. Dividindo o leito com ele está Edward Cole, interpretado por Nicholson.

Cole, que também sofre com o câncer, é um empresário rico e dono do hospital. Apesar de desejar ter um quarto só para si, seguindo a própria política que implementou no local, precisa aceitar dividir o espaço e toda sua experiência com o outro paciente.

Carter elabora uma lista de desejos que gostaria de cumprir antes de morrer e Edward propõe que eles a realizem juntos. Antes de ser somente um filme triste sobre a finitude da vida, Antes de Partir é uma reflexão sobre aproveitarmos cada dia no planeta.

O Outro Lado da Rua (2004)

Que tal uma comédia dramática nacional como indicação de filme para a terceira idade? Dirigido por Marcos Bernstein, O Outro Lado da Rua tem ninguém menos que Fernanda Montenegro, Raul Cortez e Laura Cardoso no elenco.

A obra se passa no Rio de Janeiro e conta a história de Regina, uma mulher de 65 anos que vive em Copacabana somente na companhia de sua cadelinha de estimação. Para aplacar a solidão, ela começa a atuar voluntariamente em um serviço da polícia de fiscalização da vizinhança.

Em certo dia, Regina acredita ter assistido a um homicídio. O caso, porém, é concluído como morte natural. Desacreditada, mas sem se dar por vencida, ela começa a investigar para provar que estava falando a verdade, o que a leva a acabar se envolvendo com o suposto assassino.

Para além do “mistério” que envolve a trama, O Outro Lado da Rua também nos convida a pensar sobre a solidão que, muitas vezes, passa a fazer parte da vida das pessoas de mais idade.

Ainda que muitos idosos mantenham a sua autonomia, a proximidade com pessoas queridas segue se fazendo muito valiosa no dia a dia. Algo que comentamos, inclusive, em nosso post sobre a importância do WhatsApp nos dias de hoje.

Série: Grace & Frankie (2015)

Seguindo com nossas indicações, não temos um filme para a terceira idade e sim uma série de muito sucesso. Grace & Frankie é uma comédia da Netflix protagonizada por Jane Fonda, de 81 anos, e Lily Tomlin, de 80.

A trama gira em torno da história das duas senhoras que passaram a morar juntas após descobrirem que seus maridos são gays e que vão se casar! A amizade que as duas são forçadas a viver tem resultados excêntricos, divertidos e ainda aborda questões importantes para a quebra de tabus e sobre os conflitos da terceira idade.

No final de 2019, a série foi renovada para a sua sétima e última temporada. Ainda que os fãs possam estar chateados com o fim, o resultado de anos de trabalho são muitos episódios para você passar o tempo e dar boas risadas.

Série: O Método Kominsky (2018)

Outra série da Netflix para você que quer fugir um pouco do universo dos filmes é O Método Kominsky, que pode ser considerada uma versão masculina de Grace & Frankie.

Michael Douglas, 74 anos, e Alan Arkin de 84 são os protagonistas da série que aborda, com leveza o bom humor, o envelhecimento pela ótica dos homens. A princípio, assuntos como problemas na próstata e o medo da impotência sexual podem parecer desconfortáveis, mas são tratados como o que são: coisas naturais da vida.

Essa é mais uma produção que nos ajuda a deixar de lado a ideia de vovôs fofinhos com 60 anos de idade. A expectativa de vida aumentou e a terceira idade vive ativamente, não é mesmo? Assim, o avançar da idade precisa ser retratado com mais fidelidade.

Dessa forma, idosos podem se sentir mais representados e ter a certeza de que seus dramas e alegrias são comuns aos seres humanos. Enquanto os mais jovens podem construir uma nova noção do que é a vida de seus familiares mais velhos e do que esperar quanto ao próprio processo de envelhecimento.

Conta pra gente nos comentários: gostou das dicas? Já assistiu ou ficou interessado em algum dos filmes e séries?