Provavelmente, você já deve ter notado que desde o setembro amarelo, os meses vem assumindo outras cores para falar sobre causas importantes e que merecem ser debatidas no cotidiano das pessoas. E não poderia ser diferente com o mês de fevereiro. 

O Fevereiro Roxo possui muitas causas que vamos discutir nesse texto, dentre elas o Alzheimer, o Lúpus e a Fibromialgia são as principais. Se você deseja entender qual é a importância dessa temática, continue a leitura desse texto e saiba mais. 

Esperamos que você tenha uma excelente e esclarecedora leitura!

Precisamos falar sobre Fevereiro Roxo

Assim como as bandeiras levantadas pelos outros meses, o Fevereiro Roxo é uma campanha que visa trazer a importância da conscientização sobre doenças que podem afetar qualquer pessoa. 

Mais do que apenas falar sobre prevenção, o Fevereiro Roxo visa trazer o que as pessoas devem fazer para ajudar nos cuidados com pessoas que já sofrem com as doenças e como procurar ajuda. Compreensão nesses momentos é tudo!

Porém, se você ainda deseja saber que doenças o Fevereiro Roxo aborda, saiba que o Alzheimer, a Lúpus e a Fibromialgia são as principais. Portanto, a campanha também visa trazer informações que todos precisam saber para procurar ajuda médica ao menor sinal de aparecimento de algum sintoma. 

O Fevereiro Roxo é uma campanha que visa conscientizar todas as pessoas, incentivando o diagnóstico precoce. A intenção é permitir que os pacientes tenham uma maior qualidade de vida digna ainda que convivendo com alguma dessas condições. 

Além disso, é importante frisar que todas as três doenças apresentam sintomas iniciais que são parecem relativamente inofensivos. Em boa parte dos casos, o único que apresenta sinal visível é o Lúpus por conta da vermelhidão na pele, por exemplo. 

Então, os sintomas podem acabar passando desapercebidos e avançando ainda mais no organismo sem a devida atenção de quem já possui a doença. 

Conhecendo um pouco mais do Alzheimer, Lúpus e Fibromialgia

O Alzheimer, Lúpus e a Fibromialgia são doenças sérias que podem acarretar graves consequências ao organismo. Mesmo não possuindo cura, essas doenças possuem alguns tratamentos que podem retardar a sua evolução e trazer uma vida saudável para quem foi diagnosticado com a patologia. 

O Alzheimer

O Alzheimer é conhecido como ser uma doença neurodegenerativa, isto é, que acaba trazendo destruição progressiva de neurônios, implicando na estabilidade do organismo. Sintomas como perda de memória, tanto recente quanto de longo prazo, falta de coerência de pensamentos e na fala são alguns dos principais sintomas da doença. 

A doença que foi conhecida publicamente em 1906 pela primeira vez, está associada geralmente à pessoas a partir dos 60 anos de idade. Pessoas que possuem caso na família podem ter maior propensão a terem um quadro, mas não é regra. A patologia é responsável por causar dependência de outras pessoas para realizar tarefas mais simples. 

É possível que o paciente dê início a tratamentos de terapia e com medicamentos especiais para desacelerar a progressão da doença e aliviar efeitos mais graves, principalmente em seu estágio inicial. Porém, a doença é incurável. 

É necessário que a família que possui um familiar com a doença redobre a atenção com os cuidados para manter a qualidade de vida da pessoa. Além disso, problemas com linguagem, desorientação e confusão mental precisam de observação para entender sobre o estágio de avanço da doença. 

O Lúpus

O Lúpus também é conhecido por não ter cura. É uma doença autoimune onde o sistema imunológico da pessoa começa a atacar tecidos e órgãos do corpo, interpretando-os como invasores externos do organismo. 

Mesmo com todo o avanço da tecnologia e da ciência, pouco se sabe sobre as doenças autoimunes e como elas podem ser geradas. Ainda que sejam crônicas, possuem tratamentos para que consigam ser mantidas sob controle, de forma que seus sintomas são reduzidos. 

Os sintomas podem variar desde febre a intensas dores no corpo. Existem formas da doença que são mais brandas, afetando apenas a pele, trazendo lesões avermelhadas na nuca, no rosto e no couro cabeludo. 

A Fibromialgia

Síndrome que provoca fadiga, dor intensa pelo corpo, formigamentos nas extremidades e dificuldades cognitivas. A doença não tem cura, mas possui tratamentos para que seus efeitos sejam atenuados. 

A doença também é pouco conhecida e as causas ainda são um mistério para os profissionais da área médica. Muitas vezes o seu diagnóstico demora a ser dado, pois pode ser confundido com outras enfermidades. 

As dores geralmente levam meses para passarem, o que faz com que a pessoa não consiga exercer suas atividades diárias normalmente. Algumas pessoas ainda podem sofrer com problemas no sono, apneia, insônia e até apresentar quadros de depressão. 

Boa parte dos portadores da doença são mulheres de 30 a 60 anos de idade, mas os sintomas já podem ser sentidos desde a infância ou adolescência. Fatores genéticos podem contribuir para que uma pessoa seja mais propensa a apresentar a doença. 

É Fevereiro Roxo, mas é laranja também

O Fevereiro Roxo traz uma importante conscientização sobre doenças que não tem cura e que podem impactar a vida de milhares de pessoas que sofrem com elas diariamente ao redor do mundo. 

Porém, fevereiro também traz uma campanha tão importante quanto: o Fevereiro Laranja. O objetivo da campanha é falar sobre a Leucemia, outra doença que também acomete milhares de pessoas pelo globo. 

Em breve, falaremos no blog um pouco mais sobre essa importante iniciativa da sociedade para levar esclarecimento e informação para que todos possam saber mais sobre todos esses assuntos. 

Talvez você queira saber mais

Esse texto trouxe muitas informações acerca das principais campanhas sobre prevenção de doenças, principalmente o Alzheimer. 

Porém, compreendemos que nem sempre é possível falar todas as informações em um texto só. Então, que tal ler um pouco mais sobre o Alzheimer e ficar bem informado acerca desse tema? 

Indicamos a leitura do texto Você sabe o que é o Alzheimer? Confira tudo sobre essa doença para te ajudar com o que você precisa saber sobre o assunto. 

Esperamos que você goste!

Gostou desse conteúdo? Então, não deixe de compartilhar esse texto em suas redes sociais para que ainda mais pessoas possam levantar a bandeira do Fevereiro Roxo e estar por dentro do assunto.

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *