A Leucemia é uma das doenças que acometem milhares de pessoas de todas as idades ao redor do mundo. 

Então, para trazer ainda mais esclarecimento e conscientização sobre o tema, pessoas, organizações de saúde e governos se unem para o Fevereiro Laranja, campanha para trazer mais informações sobre a doença, além de tratamento e a importância do diagnóstico precoce. 

E para ajudar ainda mais nessa campanha, resolvemos trazer esse texto para que você fique ainda mais esclarecido e passe adiante as informações que apuramos sobre o assunto. 

Esperamos que você tenha uma boa leitura!

Fevereiro Laranja: Uma campanha que não pode ficar para trás

A leucemia se configura como um tipo de câncer que pode atingir pessoas de qualquer idade. A origem da doença é ainda desconhecida. Sua principal característica está no acúmulo de células que se encontram doentes na medula óssea, responsável pela produção de sangue e também pela substituição de células sanguíneas, antigas ou doentes, por novas. 

Com esse acúmulo, o organismo acaba sendo afetado, principalmente pela redução de glóbulos brancos, que são responsáveis pelas defesa do corpo, deixando o corpo desprotegido. 

O organismo passa então a ficar com baixa imunidade, trazendo maiores chances de contrair infecção que podem ser desde recorrentes a graves. Com isso, também o número de plaquetas também passam a ser diminuídas, ocasionando sangramentos, principalmente pelo nariz e pela gengiva. 

Manchas roxas ou pontos na pele, além de suores noturnos, dores nos ossos e em articulações, perda de peso sem motivo, cansaço, febre e inchaço na região do pescoço e axilas, são os principais sintomas da doença

Porém, de acordo com o INCA – Instituto Nacional de Câncer -, se esses sintomas aparecem isoladamente, nem sempre pode ser um sinal de leucemia. Então, é importante investigar por meio de exames apurados, como o exame de sangue, o hemograma

Com uma detecção precoce, tratamentos podem ser receitados para melhorar a qualidade de vida do paciente, além de aumentar as chances de cura. Para que exista a confirmação se dê, o mielograma, exame de medula óssea, é essencial. 

Existem casos ainda de que uma biópsia da medula óssea seja feita. Quando constatada a doença, é necessário saber de que tipo ela é, se aguda ou crônica. Quando aguda, os sintomas podem ser mais aparentes, enquanto a crônica possui evolução lenta. 

Com o início do tratamento da doença, o foco está na destruição das células doentes para que a medula volte a produzir células saudáveis. O tratamento é feito pela seguintes etapas:

  1. Quimioterapia;
  2. Imunoterapia;
  3. Radioterapia;
  4. Transplante de medula óssea.

Lembrando que cada etapa é como uma evolução. Se, por exemplo, a quimioterapia conseguir trazer a cura da leucemia, não é necessário avançar para imunoterapia e assim por diante. Quando diagnosticada no início, a leucemia apresenta grandes chances de cura. 

E onde o Fevereiro Laranja entra nisso?

A campanha Fevereiro Laranja visa trazer mais esclarecimentos acerca dos riscos que ela apresenta para a saúde, além dos tratamentos que existem para que ela seja curada. 

Pessoas do mundo todo, além de organizações, instituições, grupos, tanto políticos, quanto da saúde se unem para levar, também por meio do Fevereiro Laranja, os avanços sobre tratamentos e informações mais apuradas sobre a leucemia e o que ela representa na vida de uma pessoa. 

O transplante de medula óssea pode salvar vidas e pessoas que estejam aptas a realizar doação de medula podem ajudar na cura de quem sofre com a doença. No Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME), pessoas de todo o Brasil podem se cadastrar para se volutariarem como doadores. 

O objetivo desse sistema é trazer informações mais simplificadas sobre quem doa medula óssea e a compatibilidade de quem precisa receber o transplante. Quando se verifica a possibilidade, o doador é convocado para efetivar a sua doação. 

Se informando mais sobre o assunto

Segundo estimativas realizadas pelo próprio INCA, apenas em 2018, cerca de 11 mil novos casos da doença surgiram em todo o país

Divulgado em 2015, o Atlas de Mortalidade por câncer, aponta que a doença ocasionou o falecimentos de 6.837 pessoas em todo o território nacional. A estimativa de novos casos no ano de 2018, subiu para mais de 10.000. Atualmente, a patologia é o nono câncer mais comum encontrado entre os homens e o décimo primeiro entre as mulheres.

Dessa forma, o maior objetivo da campanha, portanto, é informar a sociedade e conscientizá-la sobre tudo o que é necessário saber, tanto para quem já possui a doença, quanto para quem conhece uma pessoa que tenha. Sem contar que informação nunca é demais!

Fevereiro Laranja… E roxo!

A Leucemia é uma doença que merece destaque e utilizar o mês de fevereiro para falar sobre ela é essencial para que as informações sobre a doença não sejam esquecidas. 

Porém, não é apenas a Leucemia que está sendo lembrada no mês de fevereiro. Doenças como o Alzheimer, a Fibromialgia e o Lúpus também recebem atenção por meio da campanha Fevereiro Roxo

Lembrando que essas campanhas são essenciais para alertar sobre o diagnóstico precoce que pode trazer uma melhora substancial na vida das pessoas que sofrem com essas patologias. 

Se você quiser saber mais sobre o Fevereiro Roxo, não deixe de ler o texto que preparamos sobre o assunto: Fevereiro Roxo: a importância da conscientização da lúpus, do Alzheimer e da fibromialgia

Mais sobre saúde e bem estar

Lidar com doenças não é uma tarefa fácil. Muitas vezes o diagnóstico pode ser um verdadeiro banho de água fria e nem sempre uma pessoa sabe o que pensar no momento, muito menos como serão as próxima semanas a partir daquele dia. 

O Mal de Parkinson é uma patologia que pode trazer bastante dúvidas sobre como manter a qualidade de vida. Por isso, resolvemos trazer uma dica de leitura para saber mais sobre o tema. 

Leia o nosso texto Mal de Parkinson: Tudo que você precisa saber sobre a doença e se informe sobre tudo em relação ao assunto. 

Esperamos que tenha uma boa leitura!

Gostou desse conteúdo? Que tal compartilhar em suas redes sociais para ajudar que mais pessoas promovam a conscientização sobre o Fevereiro Laranja? Contamos com você para nos ajudar nessa!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *