Você adora aprender coisas diferentes, tem a mente criativa e gosta de colocar a mão na massa? Então, certamente precisa conhecer ferramentas para DIY que vão permitir que você se engaje com diferentes tipos de projeto.

Do It Yourself, o famoso DIY que quer dizer exatamente “faça você mesmo”. Um movimento que atrai gente que quer ter algo, mas que ao invés de comprar pronto ou solicitar que alguém faça, prefere ser responsável pelo processo.

O DIY é bacana porque permite a você ter peças originais, ser produtivo e ocupar a mente: tudo de bom para melhorar a qualidade de vida! Mas, para que seus projetos fluam bem, é preciso ter um kit básico de ferramentas. Veja com quais itens montá-lo!

1. Régua

Por vezes, projetos do estilo “faça você mesmo” começam com um desenho daquilo o que se deseja criar ou do resultado que se busca em uma reforma. Quase como se fosse um esboço do projeto que será feito. Para tanto, ter uma régua de pelo menos 30 centímetros é um bom começo.

A régua aparece na lista básica de ferramentas DIY porque também pode ser útil em projetos menores em que seja necessário medir algo, como um pedaço de tecido ou outro material a ser utilizado em coberturas.

Quando você coloca a mão na massa, começa a entender melhor o uso dos materiais envolvidos em qualquer produção. E isso tende a fazer com que você se preocupe mais com a precisão para evitar desperdícios e aproveitar ao máximo os itens adquiridos para cada projeto.

2. Fita métrica ou trena

A fita métrica ou a trena são ferramentas DIY que podem ser usadas para medir objetos ou distâncias grandes demais para uma régua. Em nosso blog, temos um post que dá dicas sobre formas de dar vida nova aos móveis de madeira. Um tipo de projeto que, por vezes, pode precisar da ajuda dessas ferramentas.

Agora, se você gosta de se adaptar às alternativas mais tecnológicas e tem um celular que permite que aplicativos sejam baixados, vai gostar de saber que pode ter uma opção de medição na palma de suas mãos.

Muitos dos smartphones já vêm com um app chamado “Measure” ou que tem um nome similar. Quando este aplicativo já não está instalado, é possível baixá-lo sem custo algum.

O Measure nada mais é do que um aparelho de medição de superfícies ou distâncias e pode fazer parte do seu kit básico DIY. Seu uso é simples: o app usa a câmera do próprio celular para focalizar o objeto ou local a ser medido e tudo o que você precisa fazer é tocar a tela marcando o ponto inicial e o final para saber a metragem.

3. Tesoura e estilete

Adesivos, tecidos, TNT e isopor estão na lista de materiais que são comumente usados em projetos “faça você mesmo”. Em geral, sua aplicação é voltada para a decoração ou para a personalização de um objeto.

Como dificilmente esses materiais são vendidos exatamente no tamanho em que precisamos para os projetos, é preciso ter ferramentas DIY para cortá-los! Note que dissemos tesoura e estilete e não tesoura ou estilete.

Por vezes, a tesoura pode ser mais prática e fácil de manusear. Entretanto, a depender do material, o estilete pode ser mais adequado. Vale ressaltar, inclusive, que seu formato e ponta afiada podem fazer desse instrumento sua opção ideal para acabamentos.

4. Grampeador

O grampeador é um grande aliado de projetos DIY porque é bastante prático no momento de fixar um material ao outro. Aqui, temos duas opções: o grampeador convencional e o de tapeceiro.

O grampeador convencional é aquele que você provavelmente já conhece, amplamente usado para prender folhas de papel e que é adequado para materiais que oferecem menos resistência.

Já o grampeador de tapeceiro, também conhecido como grampeador de madeira, é indicado para materiais mais resistentes. Se você está reformando uma cadeira que tem estofado, por exemplo, essa ferramenta pode ser a escolha ideal para prender o novo tecido.

5. Cola quente

Outra ferramenta DIY bastante usada para unir materiais em projetos é a cola quente. Muito mais potente do que as colas convencionais vendidas em papelarias, a cola quente costuma ser um sucesso entre a turma que gosta de colocar a mão na massa porque é bastante prática.

Seu uso depende de uma “arminha” na qual o bastão de cola quente é inserido. Essa “arminha” tem um bico por meio do qual a cola, já derretida, sai quando o gatilho é pressionado. Assim, é possível usar o material com facilidade e sem fazer muita sujeira.

Ainda não sabe se vale a pena investir na tal “arminha”? Bom, é possível usar a cola quente sem ela, mas o processo tende a ser mais difícil e o resultado pode não ser tão bom. Um isqueiro pode ser usado para derreter o bastão, mas essa estratégia diminui a precisão na aplicação da cola e também pode levar ao desperdício do material.

6. Lixa

A folha de lixa é recorrente em projetos que envolvem móveis ou a cobertura de alguma outra superfície que precisa ser preparada para a mudança. Essa ferramenta DIY é como uma lixa de unha, só que consideravelmente maior.

Quando você decide reformar uma mesinha de cabeceira, por exemplo, antes de aplicar uma nova camada de verniz, demãos de tinta ou um adesivo de laca próprio para madeira, precisa lixá-la. Do contrário, os resíduos de sujeira e produtos de limpeza, assim como irregularidades provadas pelo tempo, podem comprometer o resultado.

7. Kit de alicates

Já tentou segurar ou fechar uma pequena argolinha de metal com as mãos? Por vezes, objetos como esse escapam de nossos dedos e provam ser de difícil manuseio. Abrir ou fechá-los de forma correta, mantendo o círculo perfeito, também pode ser uma tarefa desafiadora.

Um kit de alicates possui alicates de diferentes tamanhos e com pontas de diferentes formatos. Uma de suas funções é justamente facilitar as tarefas descritas acima, impedindo que seu projeto DIY fracasse por algo que parece tão simples!

8. Kit de chaves ou parafusadeira

Parafusos são objetos que podem ser usados em projetos “faça você mesmo”, sobretudo os maiores ou os articulados. Quando a tarefa é simples, um bom kit de chaves de fenda pode ser o suficiente para dar conta do recado.

Em outros casos, porém, o mais prático e adequado é contar com uma parafusadeira. A diferença é que, por se tratar de um equipamento desenvolvido especificamente para essa função, a parafusadeira pode prender o com mais rapidez, poupando tempo e suas mãos!

9. Martelo

Se alguns projetos DIY usam parafusos, outros usam pregos. Diante dessa necessidade, você pode até improvisar, mas o melhor é ter em mãos um bom martelo. A verdade é que é provável que você já tenha um em casa, de tão básica que é essa ferramenta!

10. Serras

Por fim, mas não menos importante, estão as serras. Você pode tanto optar por uma serra manual em arco ou por uma serra tico-tico que funciona à base de energia elétrica.

As serras podem ser usadas para cortar madeira, plástico, metal e outros materiais. Quanto a isso, é sempre indicado analisar as propriedades do material antes de comprar.

A serrinha em arco é sinônimo de trabalho braçal mais pesado. Isso porque, depende de você aplicar a força e fazer os movimentos para o corte. Caso o uso não seja recorrente, pode ser uma boa opção, inclusive pelo custo-benefício.

Já a serra tico tico ajuda você a economizar tempo e braço. Além disso, proporciona cortes mais precisos e é uma ferramenta DIY mais adequada para recortes em formatos diferentes, como círculos.

O que você achou da lista de ferramentas para quem adora fazer DIY? Deixamos de fora alguma que você considera fundamental? Mande seu comentário!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *