Por uma série de entraves que a vida apresenta, ainda é comum que muita gente não consiga ingressar e se formar no ensino superior. Para você que mantém esse sonho depois de anos, a faculdade para idosos é possível!

Certamente, voltar à rotina de estudos já na terceira idade não é como fazê-lo ainda durante a juventude. Existem desafios, mas para quem carrega o desejo de aprender sempre mais, buscar esse objetivo é uma grande realização e motivo de orgulho.

Sonho, aperfeiçoamento, lucidez

Existem diferentes motivos para que uma pessoa na terceira idade queira ingressar em uma faculdade. Em geral, todos eles estão relacionados com as mudanças que o aumento da expectativa de vida nos apresenta.

Quem sempre sonhou cursar determinada graduação, mas não teve a oportunidade, após a aposentadoria, pode ter o tempo e outros recursos que se fazem necessários.

Uma busca rápida na internet nos permite encontrar notícias boas como a de Dona Thereza Alduino que, aos 81 anos, realizou o sonho de se formar em Pedagogia. 

Em entrevista, ela relatou o seguinte: “Eu me aposentei e pensei que não podia ficar parada. Então, fiz três anos de supletivo e concluí o ensino médio”. Depois de conquistar o diploma de graduação, Thereza ainda disse sonhar com uma pós em Psicopedagogia para poder palestrar sobre o assunto.

Para outra parcela de aposentados, porém, o que motiva a volta aos estudos é a necessidade de se manter no mercado de trabalho. Dados de 2018 apontavam que, mesmo após a aposentadoria, pouco mais de 20% dos idosos do país seguiam exercendo atividade remunerada.

O objetivo da maioria dos que permanecem ou retornam ao mercado de trabalho é conseguir renda extra, além do benefício pago pelo governo, para pagar as contas.

Com a competitividade em alta, a faculdade para a terceira idade surge no horizonte como possibilidade para quem deseja se aperfeiçoar e aumentar as chances de sucesso.

Além disso, existem aqueles que decidem retomar os estudos para manter a mente ativa e, de quebra, aprender algo novo que seja útil para a vida. O fato de estarmos vivendo mais faz com que este investimento de tempo e a dedicação à faculdade valha a pena.

Faculdade tradicional x faculdade especial

Quem está cogitando a possibilidade de ingressar em uma faculdade para idosos tem duas opções: fazer como Dona Thereza e investir em uma formação tradicional ou buscar um programa especial para a terceira idade.

Por formação tradicional, nos referimos aos cursos que estão disponíveis nas mais diversas universidades do país: Administração, Direito, Engenharias, Jornalismo, Pedagogia e outros.

Já por faculdade especial, nos referimos à instituições que contam com um Programa da Maturidade ou algo similar. Como o nome já indica, falamos de algo que é especialmente desenvolvido e direcionado para a terceira idade e que, portanto, busca suprir algumas de suas demandas.

Para que você tenha mais clareza sobre a diferença de uma faculdade tradicional e de uma faculdade para idosos, cabe apontarmos algumas questões relevantes. Uma delas diz respeito às aulas que, em geral, são optativas e que podem ser escolhidas de acordo com os interesses do estudante.

Como exemplo, citamos a existência de aulas de Informática, Língua Estrangeira, Oficina de Memória, Direito do Idoso, Sexualidade na Terceira Idade ― tema que inclusive já foi abordado neste post aqui no blog da Obabox ― e outros.

Além disso, é comum que as faculdades especiais, diferentes das tradicionais, não envolvam rigorosos processos seletivos. Algo que facilita bastante a volta aos estudos já que provas de vestibular demandam que o candidato esteja em dia com os conteúdos aprendidos ainda no Ensino Médio.

“Quero entrar na faculdade. O que fazer?”

Se você deseja entrar em uma faculdade para a terceira idade, dessas que tenha um programa especial para alunos com 50 anos ou mais, basta fazer uma pesquisa para descobrir suas possibilidades.

Os Programas da Maturidade não são oferecidos por todas as instituições de ensino superior do país, mas é possível encontrá-los. É preciso saber desde já, porém, que existe a possibilidade de que você se depare com uma lista de espera. Se este for o caso, tenha paciência e não desista!

Se, por outro lado, você deseja entrar em uma faculdade tradicional para obter um diploma na profissão que sempre sonhou ou que lhe é importante para seguir no mercado, a conversa é um pouco diferente.

Como mencionado, a entrada em um curso de graduação depende de um processo seletivo que se baseia na avaliação dos conhecimentos de cada candidato. Há jovens prestes a se formar no Ensino Médio e com as disciplinas fresquinhas na memória concorrendo às vagas.

Ao indicar que o desafio é maior, nosso objetivo não é desanimar ninguém, mas preparar e compartilhar algumas dicas. Pode ser interessante buscar um cursinho ou um professor de pré-vestibular para ajudar você a refrescar a memória e conseguir se sair bem nas provas.

Outra opção é buscar por faculdades menos concorridas e cujas provas não tenham os níveis mais elevados de dificuldade.

A questão não passa por deduzir que idosos não têm capacidade para buscar aprovação nas melhores instituições de ensino do país, ok? Considere a ideia de tornar a conquista de seu objetivo um pouco mais simples e tudo fará sentido.

“Quero entrar na faculdade, mas não sei se vale a pena”

Não há como negar que entrar para a faculdade, seja ela tradicional ou especial, requer dedicação. Para alcançar o objetivo de ter um diploma de ensino superior ou de concluir um curso com sucesso, é preciso querer de verdade.

Lidar com a rotina de uma faculdade tradicional pode ser verdadeiramente puxado, mas tem suas recompensas para além da conquista do diploma. Em uma faculdade para a terceira idade, as coisas tendem a ser mais leves.

Seja qual for a sua decisão quanto ao caminho a seguir, separamos algumas vantagens para que você avalie e veja se vale a pena. A volta aos estudos favorece:

  • A socialização que permite novas amizades ou simplesmente trocas que afastam muitos idosos da solidão e do isolamento;
  • O reencontro de um propósito, algo que pode parecer ficar para trás depois de uma certa idade;
  • O desenvolvimento intelectual e manutenção da saúde do cérebro;
  • O desenvolvimento profissional ou de novas habilidades, o que eleva a autoestima do estudante que percebe que ainda é capaz de se superar;
  • A descoberta de novos interesses que podem trazer mais entusiasmo para o dia a dia.

A faculdade na terceira idade, ainda que desafiadora, é uma realidade possível. O importante é ter em mente seus interesses e objetivos para fazer deles sua força motivadora.

Gostou do post? Aproveite para enviá-lo aos amigos e familiares. Vai que você encontra futuros colegas de faculdade ou consegue o apoio que precisa para voltar aos estudos!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *