Campanhas de incentivo à doação de sangue acontecem há tempos, contando inclusive com a existência do Junho Vermelho para conscientizar a população sobre a importância desta ação.

Você já doou?

Infelizmente, nem todo mundo pode doar sangue, mas entre os que podem, há quem deixe de fazê-lo por pura falta de informação.

Por isso, fizemos este post para tirar dúvidas e compartilhar orientações relevantes.

Confira!

A importância da doação de sangue

Pessoas que sofrem acidentes com perda de sangue, aquelas que têm doenças crônicas graves e as que passam por intervenções médicas complexas estão entre as que podem precisar de doação de sangue.

Sem as doações, pessoas que precisam repor o volume de sangue de seus organismos podem acabar perdendo a vida. Por isso, pessoas saudáveis que atendem aos requisitos estabelecidos são convidadas a doar.

Ao fazer a doação de sangue pela primeira vez, você passará a ter um cadastro que pode ser usado para lhe enviar lembretes de que novas doações são bem-vindas.

Segundo informa o Hospital São Lucas, 450 ml de sangue doado podem salvar até quatro vidas!

O organismo saudável de um doador leva aproximadamente 24 horas para repor o volume doado e cerca de um mês para repor a quantidade de glóbulos vermelhos.

É interessante dizer ainda que, “em algumas pessoas, a doação de sangue pode reduzir os riscos de doenças cardiovasculares, pois ajuda a manter os níveis de ferro”.

Quem pode fazer doação de sangue

Existem alguns requisitos básicos que definem quem pode doar sangue, quem precisa esperar algum tempo para fazer a doação e quem simplesmente não pode fazê-lo.

Para fazer a doação de sangue é preciso:

  • Estar com a saúde em dia;
  • Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação de sangue tenha sido feita até os 60 anos de idade;
  • Pesar pelo menos 50 kg;
  • Estar descansado e bem alimentado (convém evitar alimentos gordurosos nas 4 horas que antecedem a doação);
  • Apresentar documento original com foto recente para identificação.

São impeditivos temporários para a doação de sangue

  • Resfriado (é preciso esperar sete dias após o desaparecimento dos sintomas);
  • Vacina contra gripe (deve-se aguardar 48 horas);
  • Gravidez;
  • Parto recente (é preciso aguardar 90 dias em caso de parto normal e 120 dias em caso de cesariana);
  • Amamentação (se o parto se deu a menos de 12 meses);
  • Qualquer procedimento endoscópico como endoscopia digestiva, colonoscopia, rinoscopia etc (é necessário aguardar 6 meses);
  • Extração dentária ou tratamento de canal (a depender da medicação usada, é preciso aguardar sete dias);
  • Cirurgia odontológica com anestesia geral (é necessário aguardar quatro semanas);
  • Acupuntura (se realizada com material descartável, é preciso esperar 24 horas; se realizada com material sem condições de avaliação, é preciso aguardar 12 meses);
  • Herpes labial ou genital (é preciso esperar o desaparecimento das lesões);
  • Herpes zoster (deve-se esperar seis meses após a cura);
  • Ingestão de álcool nas 12 horas que antecedem a doação;
  • Tatuagem ou maquiagem definitiva (deve-se aguardar 12 meses);
  • Situações em que há maior risco de adquirir DSTs (é preciso esperar 12 meses);
  • Malária: quem esteve em estados do Brasil ou em outros países com alta prevalência da doença deve aguardar 12 meses após o retorno para fazer a doação de sangue;
  • Febre amarela: quem esteve em regiões onde há surto da doença deve aguardar 30 dias após o retorno; caso tenha contraído a doença, deve aguardar seis meses contados a partir da recuperação completa.

São impedimentos definitivos para a doação de sangue

  • Evidência clínica ou laboratorial de Hepatites B e C, HIV, doenças associadas ao vírus HTLV I e II, Doença de Chagas;
  • Hepatite após os 11 anos de idade;
  • Malária (ter contraído a doença);
  • Uso de drogas ilícitas injetáveis.

Intervalo entre doações

Ainda, é importante dizer que todos que estejam aptos a doar precisam respeitar o intervalo definido entre uma doação e outra. Para os homens, o tempo é de 60 dias e, para mulheres, de 90 dias.

STF aprova a doação de sangue por homessexuais

Uma boa notícia que chegou a nós ainda em maio de 2020 foi a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em derrubar a proibição que impedia homosseuxais de fazer doação de sangue.

As regras que até então impediam a doação foram consideradas discriminatórias e preconceituosas.

Com a mudança, um número maior de pessoas passa a estar apto a contribuir para salvar vidas.

Orientações pré-doação

O Ministério da Saúde disponibiliza uma relação com todos os hemocentros do país, seus endereços e informações de contato.

Assim, você pode ligar antes para saber se há necessidade ou não de agendamento e tirar alguma dúvida pontual, caso tenha.

Em todo caso, separamos algumas dicas para que sua doação de sangue seja uma experiência bem-sucedida. Veja só:

  • Tenha uma boa noite de sono. A recomendação é dormir ao menos seis horas no período das 24 horas anteriores à doação para ter disposição;
  • Alimente-se bem. Se possível, inclua alimentos ricos em ferro e em vitamina C, que ajuda na absorção do ferro, em sua alimentação. Evite apenas ir de estômago cheio para o local da doação para evitar indisposições;
  • Mantenha uma boa hidratação. Adultos têm cerca de cinco litros de sangue em seus corpos, dos quais 450ml são retirados para a doação de sangue. Beber água e sucos antes facilita o processo e sua recuperação;
  • Responda às perguntas da entrevista com sinceridade. Todo doador, mesmo que já tenha doado sangue antes, passa por uma entrevista com um profissional de saúde para atestar os requisitos já mencionados.

A sinceridade é fundamental garantir que o procedimento seja seguro para você e para quem receber o seu sangue.

Orientações pós-doação

O momento após a doação de sangue pode mudar de uma pessoa para a outra. Algumas se sentem como se nada tivesse ocorrido, enquanto outras podem experimentar uma leve queda de pressão, por exemplo.

A dica é não pagar pra ver se algum mal-estar vai surgir e seguir orientações para garantir que tudo corra da melhor maneira possível, e também contribuir para a recuperação do seu organismo. Veja:

  • Evite a pressa e permaneça na unidade de doação de sangue por pelo menos 15 minutos após o fim do procedimento. Aproveite para lanchar e se reidratar (os alimentos vão ser oferecidos a você);
  • Durante as 24 horas seguintes e, especialmente nas quatro primeiras horas, aumente sua ingestão de líquidos para ajudar seu corpo a repor o volume de sangue doado;
  • Aguarde pelo menos 4 horas para retirar o curativo colocado sobre o local onde estava a agulha;
  • Evite o cigarro por pelo menos 2 horas e o álcool por pelo menos 12 horas;
  • Evite também a realização de atividades físicas pesadas por 12 horas;
  • Caso se sinta mal em algum momento após a doação de sangue, sente-se em qualquer local e coloque a cabeça entre os joelhos ou deite-se no chão e coloque as pernas para cima. As duas posições vão ajudar no aumento da circulação de sangue no cérebro, revertendo sensações de tontura ou desmaio;
  • Se, na entrevista, você não pode ou não quis apontar alguma razão que indique que sua doação de sangue não pode ser aproveitada, entre em contato o mais rápido possível com o local e peça o descarte do material.

Uma vez que você fizer uma doação de sangue, o material será levado a quem mais precisa, podendo salvar uma vida. Você não vai saber qual vida salvou, mas terá a certeza de ter feito o bem, sem olhar a quem.

A doação importante e, por isso, se você achou este post útil aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *