Alguns dos principais sintomas causados pelo coronavírus são a febre, a tosse seca e a dificuldade para respirar. Porém, sabe-se que a doença pode ser assintomática, assim como pode apresentar outros sintomas mais raros, como é o caso da conjuntivite

Pensando nisso e como uma forma de entender ainda mais sobre conjuntivite e que seu diagnóstico não necessariamente signifique que o paciente possui Covid-19, preparamos esse texto para te trazer mais informações sobre o assunto. 

Esperamos que goste da leitura!

O que é a conjuntivite

Caracterizada como uma inflamação que atinge a região conjuntiva dos olhos. Algumas de suas causas são alergias, infecções, além do contato com substâncias tóxicas.

A doença, normalmente, pode atingir os dois olhos e sua duração no organismo pode ser de até 15 dias. Caso a causa a conjuntivite seja infecciosa, pode ser também contagiosa, pois a sua transmissão se dá pelo contato com as secreções do olho da pessoa que está infectada.

Os tipos de conjuntivite 

Existem 3 tipos de conjuntivite e são elas a alérgica, a contagiosa e a tóxica. Confira abaixo algumas informações sobre cada uma delas. 

Conjuntivite alérgica

As pessoas que acabam contraindo essa infecção geralmente estão predispostas a alguma alergia. Também podem apresentar quadro de sinusite ou rinite, facilitando o aparecimento desse tipo de doença. 

Essa conjuntivite não é contagiosa e os sintomas são os olhos vermelhos, além da coceira ocular. A utilização de lentes de contato também podem causar uma reação alérgica, proporcionando  o aparecimento dessa conjuntivite.

Para tratá-la o uso de colírios antialérgicos podem ser receitados pelo médico especialista.

Conjuntivite contagiosa

A mais conhecida, podendo ser transmitida para outras pessoas pelo contato ou também pelas secreções dos olhos. Dentro dessa especificação de conjuntivite contagiosa, ela ainda  pode ser viral, bacteriana ou fúngica. Entenda como funciona a forma de transmissão:

  • Viral: Pode atingir outras partes do corpo e até mesmo o ato de espirrar e tossir pode transmitir o vírus. 
  • Bacteriana: Ocorre por meio de contato pessoal com quem está infectado. Pode ser mais comum e perigoso para crianças. 
  • Fúngica: Sua principal causa está relacionado a olhos machucados com madeira. É mais difícil de ser tratada. 

Conjuntivite tóxica

Não é tóxica e ocorre quando os olhos entram em contatos com produtos químicos e tóxicos.

É um tipo raro, mas que também pode trazer graves complicações para o olho e para a visão. 

Estou com conjuntivite. Também estou com coronavírus?

Não necessariamente. Para identificar um diagnóstico completo do coronavírus é necessário observar outros sintomas que precisam ser comuns. É o caso da tosse seca, da febre e da dificuldade de respirar. 

A conjuntivite é um sintoma muito raro da doença e sempre vem acompanhado com os sintomas mais conhecidos. Para você ter uma noção, em estudo do jornal de virologia, dos 30 pacientes que foram hospitalizados com o coronavírus na China apenas 1 apresentou conjuntivite. 

Além disso, o paciente também tinha SARS-CoV-2 em suas secreções oculares. Tal constatação dá indícios de que o vírus infecta a região conjuntiva, causando conjuntivite. Em outro estudo publicado pela New England Journal of Medicine foi reportado de que a congestão conjuntival pode ocorrer em nove de 1099 pacientes (0,8%). Todos com confirmação laboratorial. 

Sintomas da conjuntivite

Os sintomas principais da infecção:

  • Pálpebras inchadas;
  • Olhos vermelhos e lacrimejantes;
  • Secreção;
  • Sensação de areia ou de ciscos nos olhos;
  • Coceira.

Recomenda-se que para que a pessoa não pegue a infecção, lave sempre as mãos, evite contato com pessoas infectadas, não coce os olhos, além de não compartilhar objetos que pode ser utilizados nos olhos, como maquiagem e óculos. 

E uma das maiores recomendações que se pode fazer, tanto para a prevenção da conjuntivite, quanto do coronavirus, é de ficar em casa e evitar aglomerações.

Afinal de contas, ambas as enfermidades são contraídas também quando existem muitas pessoas juntas com pelo menos uma tendo contato com a infecção. Então, é bom não dar mole!

Tratando a infecção

Recomenda-se que os olhos sejam sempre lavados com água gelada que precisa ser filtrada e fervida. Além disso, compressas com soro fisiológico também são recomendados para limpeza e tratamento. 

Quando a conjuntivite viral não existem medicamentos que possam tratá-la, por isso os cuidados com higiene precisam ser redobrados para evitar contágio e evolução da doença. Automedicação não é recomendada. 

Se você está com sintomas de conjuntivite, não hesite em obter uma consulta com o oftalmologista para receber indicação do remédio e tratamento adequado. Há casos de de que alguns colírios são nocivos para os olhos nessa situação, pois podem provocar complicações ainda mais graves piorando o quadro. 

Quando a conjuntivite é bacteriana, existem colírios que podem servir como antibióticos para tratar a doença. Os colírios, quando receitados por um médico especialista, podem trazer alívio para os sintomas, diminuindo o tempo de cura do quadro. 

Você viu nesse texto:

  • A conjuntivite é uma doença que atinge aos olhos, trazendo sensação de desconforto, coceira e até dificuldades para enxergar;
  • A conjuntivite pode ser contagiosa, dependendo de como foi obtida a infecção;
  • Recentemente foi descoberta também como um dos sintomas do coronavírus, mas não necessariamente o sintoma principal;
  • A automedicação para tratar a doença não é recomendada. Consulte um médico antes de começar o tratamento adequado;
  • Uma das maiores recomendações para evitar a doença é evitar aglomerações e contato com pessoas infectadas. 

Mais sobre saúde e bem estar

A conjuntivite é uma das doenças que podem afetar a saúde dos seus olhos e trazer preocupação. Porém, ela não é a única. Ainda existem outros cuidados necessários para que outras doenças e distúrbios não afetem essa região tão sensível do corpo humano. 

Pensando nisso, recomendamos a leitura de mais um texto que preparamos para falar sobre como cuidar da sua saúde ocular e como se prevenir de enfermidades que podem afetar essa área. 

Não deixe de ler Fique de olhos bem abertos: cuidados com a sua saúde ocular e fique por dentro do assunto. 

Esperamos que goste da leitura! 

Gostou do conteúdo? Esperamos que sim! Então, não deixe de compartilhar esse texto em suas redes sociais para que mais pessoas saibam como se prevenir da conjuntivite.

Share:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *