Você está no grupos dos que tiveram o privilégio de viver a Era de Ouro do Vinil ou dos que chegaram na onda do “ressurgimento” dessa mídia? Seja como for, uma coisa é certa: você precisa saber como limpar discos de vinil.

E não são só os seus discos que precisam de cuidados, sua vitrola ou toca-discos também merece a sua atenção para garantir limpezas e manutenções que evitam danos e prolongam a vida útil do aparelho.

A combinação de vinil e vitrola é ótima para quem gosta do som analógico e acredita que até os ruídos tornam a experiência mais especial. Para aproveitar ao máximo essa experiência, confira as 9 dicas que separamos para você!

1. Guarde os discos na vertical

Se você já visitou alguma loja de vinis ― e não somente os compra pela internet ―, certamente viu que eles ficam dispostos na vertical. A princípio, pode parecer que essa organização tem por objetivo facilitar a visualização das capas e títulos, mas isso não é tudo.

Quando posicionados horizontalmente, sobretudo quando empilhados, vinis ficam sujeitos à deformidades que podem afetar a qualidade do som e diminuir sua sobrevida.

Sabendo disso, uma dica básica e valiosa para conservar discos de vinil é mantê-los na vertical, um ao lado do outro;

2. Não descarte os saquinhos plásticos

Ao comprar vinis novos ou usados em excelente estado de conservação, é comum que esses venham envoltos em um plástico, além da capa de papelão e há um bom motivo para que seja assim.

A poeira é inimiga dos discos de vinil porque se acumula nas ranhuras ou microssulcos; algo que certamente prejudica a qualidade do som e pode até afetar a agulha de sua vitrola ou toca-discos.

Assim, é importante conservar os saquinhos plásticos para manter seus discos protegidos da poeira. Inclusive, de tempos em tempos ― e sobretudo depois da limpeza ― convém trocar o plástico já que este acaba acumulando sujeira;

3. Evite sol e umidade

Para conservar discos de vinil, você também deve mantê-los protegidos do sol e da umidade.

Temperaturas extremas podem empenar o disco, fazendo com que este já não possa ser utilizado. Em um país tropical como o Brasil, evitar a exposição ao sol pode ser crucial para que você não acabe perdendo seu vinil favorito ou ainda, toda a sua coleção de discos.

A umidade, por sua vez, pode gerar mofo que se espalha rapidamente por materiais como o vinil. Outro risco para você que é fã dos discos e adora colocar seus artistas favoritos para tocar em sua vitrola;

4. Manuseie os discos com cuidado

Com os CDs, aprendemos que nossos dedos deixam marcas mesmo quando estamos com as mãos limpas. A superfície espelhada nos ajudava a ver as impressões digitais registradas e, sabendo que isso fazia o CD pular, logo aprendemos a segurá-lo pelas extremidades.

Segurar um CD sem encostar em todo o seu corpo é mais simples devido ao tamanho, mas o mesmo deve ser feito com o vinil. A gordura natural de nossos corpos acaba sujando os discos se não os manuseamos com cuidado.

Por essa razão, desde a retirada do disco da capa, passando pela sua colocação no prato até o retorno à capa: segure pelas extremidades;

5. Para limpar, nada de soprar ou esfregar

Com o vinil em mãos, muita gente tem o costume de levantá-lo à altura dos olhos e posicioná-lo de forma que a luz permita ver se há poeira ou marcas de dedo pela superfície.

Ao identificar alguma sujeira, a vontade de soprar ou esfregar a blusa contra o disco parece vir a nós quase naturalmente, mas é melhor evitar. Ao soprar, mesmo sem querer você pode acabar transferindo saliva para o vinil e isso pode danificá-lo.

O tecido de sua blusa, por mais macio que seja, pode deixar resíduos ou até arranhar o vinil. Algo que você certamente não quer que aconteça, não é mesmo?

Se depois dessa você está se perguntando como limpar discos de vinil, fique tranquilo porque está prestes a descobrir algumas das alternativas recomendadas:

  • comprar uma escova especial para a limpeza de vinis;
  • comprar uma máquina de lavar discos;
  • utilize um kit de limpeza específico para vinis, como o vendido pela Obabox;
  • lavá-los com água e detergente neutro.

Para seguir essa última alternativa, convém conferir a presença do anel de vedação para proteger o selo durante a lavagem ― é algo como uma película colocada acima do selo, sendo seu diâmetro um pouco maior. Caso o “o-ring” não exista, o selo acabar se molhando.

Sabendo disso, para a lavagem dos discos você deve misturar água e detergente ou sabão neutro em uma bacia e enxaguá-los cuidadosamente. Depois, você deve tirar a espuma com água e colocar os vinis para secar à sombra (um escorredor de pratos vai ajudar bastante);

6. Pincel sim, dedo não

Pegando o gancho na dica anterior, vamos falar sobre como limpar a agulha da vitrola. Fala a verdade: você já sentiu vontade de passar o dedo para tirar a poeira acumulada?

Não precisa ter vergonha de responder que “sim” porque deve ser bem difícil encontrar alguém que nunca limpou a agulha da vitrola ou do toca-discos assim. Por mais simples que o procedimento pareça, porém, não é o adequado.

Nossos dedos carregam suor, gordura e outras impurezas que podem acabar reduzindo o pó, mas aumentando a sujeira da agulha. Além disso, ainda que você tente agir com delicadeza, pode acabar forçando a agulha e danificando-a pouco a pouco;

7. Evite colocar peso sobre o cabeçote da agulha

Mesmo com os devidos cuidados, você pode acabar com um disco riscado em casa. Acontece! A questão é que os riscos tendem a fazer a agulha pular fazendo com que trechos da música ou do álbum acabem não sendo tocados.

Com isso, uma solução que parece boa é colocar um pesinho, como uma moeda, sobre o cabeçote da agulha, também chamado de shell. Essa “engenhoca” nem sempre funciona, mas pode produzir bons resultados no objetivo de fazer a agulha parar de pular. Entretanto, isso tem seu preço.

O aumento do peso sobre a agulha faz com que essa passe com mais força sobre as ranhuras do vinil, desgastando-o mais rapidamente;

8. Troque as agulhas quando necessário

De tempos em tempos, pode ser necessário trocar a agulha de sua vitrola ou toca-discos. Em geral, as agulhas são feitas de material resistente, mas o uso constante e prolongado tende a fazer com suas pontas se afinem, o que pode danificar os discos.

Por isso, é interessante consultar as instruções do fabricante e, se possível, antes de adquirir seu equipamento, pesquisar sobre a facilidade de compra de agulhas extras;

9. Proteja a vitrola da poeira

Por fim, mas não menos importante, proteja sua vitrola ou toca-discos da poeira. Até mesmo os equipamentos mais simples, como as maletas que viraram “febre” no retorno dos vinis, têm uma tampa protetora.

Atualmente, muitas vitrolas e toca-discos têm designs bem bonitos: alguns bem modernos e outros que resgatam a beleza dos aparelhos de outras décadas. Com isso, por mais bonito que seja vê-los abertos, resista à tentação.

Manter tampas fechadas ou se valer de qualquer outro mecanismo que proteja o equipamento da poeira é necessário. O pó é inimigo dos vinis e das agulhas e, com isso em mente, a ideia é simples: “não dê bobeira para o azar”.

Gostou das dicas? Leia também sobre os Discos mais vendidos da história e prepare-se para aumentar sua coleção (e cuidar dela com carinho)!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *