Você já ouviu falar em cicloturismo? Como o termo indica, trata-se do turismo feito sob bicicletas, uma viagem sob duas rodas que é econômica, saudável e ainda faz bem para o meio ambiente.

Estar na própria casa e em meio à pessoas conhecidas é uma delícia, mas poucas coisas são tão enriquecedoras quanto viajar e conhecer novos lugares e culturas.

Se você concorda com essa ideia, descobrir o que é cicloturismo, como praticar e onde ir pode ser o que você precisa. Continue a leitura e saiba mais!

O que é o cicloturismo

Fazer cicloturismo é, literalmente, viajar usando a bicicleta como seu meio de transporte. Uma experiência diferente e que pode ser significativamente mais econômica do que as viagens convencionais.

Além do mais, o cicloturismo é uma maneira mais saudável e ecológica de viajar. Isso porque é preciso realizar esforço físico para fazer a bike rodar por aí e porque as bicicletas são meios de transporte não poluentes.

A prática tem adeptos pelo Brasil e pelo mundo afora, o que nos leva inclusive à existência de roteiros especialmente pensados e desenvolvidos para aqueles que desejam viajar de bicicleta.

E estamos falando de viajar mesmo. Colocar a “bagagem” na bicicleta e rodar pelos quatro cantos do país ou até desbravando cada um dos cinco continentes.

Para isso, além de roteiros, existem até mesmo o bike hotel, um conceito que nos leva a existência de hospedarias criadas para atender especialmente aos ciclistas que estejam turistando por aí.

As modalidades do cicloturismo

Se você nunca praticou cicloturismo, pode começar optando pela modalidade guiada. A contratação desse serviço garante que o viajante seja acompanhado de um profissional preparado para orientar sobre o trajeto e contribuir para a segurança de todo o grupo.

O trajeto, assim como os pontos de parada para lazer e descanso ficam à cargo do guia e da empresa contratada. Assim, há menos com o que se preocupar, menos responsabilidades a assumir para a viagem.

Por outro lado, se você já tem alguma experiência ou confia em suas habilidades para viajar de bicicleta por conta própria, pode optar pela modalidade de viagem autônoma.

A escolha fica ao seu critério. Seja como for, basta ter em mente que uma boa pesquisa na internet vai ajudar você a encontrar o guia ideal ou a montar sua própria rota, escolhendo os melhores locais de hospedagem e tudo mais.

Quem pode praticar o pedal turístico

Em um primeiro momento, a ideia de viajar de bicicleta pode parecer interessante, mas acessível somente a quem já tem anos de prática no pedal de estrada, não é mesmo? A verdade não é bem essa.

Existem roteiros para diferentes níveis de ciclistas e você pode fazer suas escolhas com base no seu preparo, disposição e experiência. Gradativamente, a expectativa é de que o ciclista se torne cada vez mais preparado para viagens mais longas ou com trajetos mais desafiadores.

Para quem está começando, é importante preparar-se fisicamente. Viagens podem ser mais exigentes do que passeios, então vale praticar, ganhar confiança na bicicleta e fôlego para dar conta de todo o trajeto.

Aprender sobre as normas de trânsito, seja no Brasil ou no país pelo qual você deseja viajar também é importante. Assim, você vai ter o conhecimento necessário para evitar acidentes ou qualquer tipo de problema enquanto ciclista.

Ainda, é importante que você tenha em mente algumas outras dicas. Veja:

1. Use equipamentos de segurança e conheça sua bicicleta

Capacete, joelheiras, luvas, roupa especial e até sua lanterna Obatática. A importância do uso de equipamentos de segurança não precisa ser explicada, não é mesmo? Certamente, você não quer correr o risco de se machucar em plena viagem, não poder mais pedalar e precisar voltar pra casa.

Falemos, portanto, sobre conhecer sua bike. Antes de qualquer coisa, você precisa escolher a bicicleta ideal para o cicloturismo e, então, precisa conhecê-la para garantir uma viagem confortável e segura.

Saber sobre o número de marchas, quando e por que usá-las, por exemplo, é fundamental para que você possa viajar de bicicleta com tranquilidade. Outros conhecimentos, como eventuais ajustes que precisam ser feitos utilizando ferramentas ― e como utilizar o kit de ferramentas ― também são bem-vindos;

2. Leve o essencial, mas não somente o essencial

Se você vai viajar de bicicleta, certamente não conseguirá levar tantas coisas quanto levaria se fosse a uma viagem de carro, ônibus, trem ou avião. Para montar sua bagagem, é importante focar no essencial, mas não se limitar a isso.

Logo mais, compartilharemos algumas informações a esse respeito;

3. Conheça alternativas às hospedarias tradicionais

Quando o cicloturismo começou, não existiam hospedarias especiais para seus praticantes, tampouco um roteiro que ajudasse os viajantes a se situar pelo caminho.

Por essa razão, até os dias de hoje é comum que cicloturistas se hospedem na casa de outros cicloturistas e, eventualmente, retribuam o favor. Uma das formas de encontrar lugar para ficar enquanto viaja de bicicleta é acessando o site Warmshowers.org.

Em tradução para o português, warm showers que dizer banhos quentes. Basicamente, um lugar em que o viajante encontra água quente para tomar seu banho e, mais do que isso, uma cama, um teto e uma companhia por alguns dias.

O que levar na “bagagem”

Os alforges são as bolsas que podem ser acopladas à bicicleta para que você tenha espaço para guardar as coisas que precisa levar em sua viagem. Sendo assim, ao viajar de bicicleta você não precisa simplesmente colocar tudo em uma mochila.

Como há mais espaço disponível, você pode focar no essencial, mas acrescentar outros itens que deseja ter consigo. Algumas peças de roupas, por exemplo, figuram entre aquilo o que é essencial enquanto sua câmera fotográfica não. Mas você não precisa deixar a câmera para trás!

O importante é que você se atente a duas questões. A primeira é que o excesso de peso vai tornar sua viagem mais difícil e por isso convém se planejar. A segunda é que você precisa diferenciar aquilo o que é descartável daquilo o que não é.

Levar quatro camisetas ao invés de somente três pode ser uma ideia mais interessante. Caso as coisas se compliquem, se preciso for, você pode deixar uma camiseta pelo caminho. Entende o raciocínio?

Bons destinos para o cicloturismo

A verdade é que existem tantos bons destinos para a prática do cicloturismo que fica difícil elencar só alguns. Fora do país, existem ótimas opções como Copenhague (Dinamarca), Lima (Peru), Sicília (Itália) e mais.

Aqui no Brasil, um destino mais acessível, sobretudo para quem está apenas começando e não quer ter de lidar com as barreiras de cultura e de idioma, também existem diversas opções.

Entre elas, estão:

  • Serra da Mantiqueira;
  • Caminho Velho da Estrada Real;
  • Chapada Diamantina;
  • Caminho dos Diamantes (Serra do Caraça, do Tabuleiro e Espinhaço);
  • Circuito Leste do Paraná (Estrada da Graciosa, Morretes, Antonina, Paranaguá e Guaraqueçaba);
  • Circuito Oeste do Paraná (Estrada do Cerne, Terceiro Planalto Paranaense ― Vila Velha, Buraco do Padre, Cânion Guartelá e cachoeiras de Prudentópolis).

O cicloturismo requer a compra de uma bicicleta adequada e de alguns equipamentos para a segurança e praticidade em sua viagem. Também requer disposição física e vontade de explorar e conhecer novos lugares e pessoas. Se você se identifica com isso, pode ter acabado de encontrar sua nova forma de viajar! 

Gostou do post, mas ainda precisa se inspirar antes de começar a viajar de bicicleta? Leia sobre os benefícios de andar de bicicleta!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *