Contatos, fotos e vídeos, mensagens e mais. Seu smartphone tem uma infinidade de informações que você provavelmente não gostaria de perder. Já pensou se o celular cai na água?

Essa é uma situação que qualquer um quer evitar. Às vezes, porém, um simples descuido pode fazer com que o celular caia na piscina, na banheira, em um balde ou até no vaso sanitário.

Água no celular é um problema, especialmente quando o aparelho não tem uma proteção mais avançada. Entretanto, existem dicas e instruções que você deve seguir para tentar salvar seu celular. Continue a leitura e saiba mais!

O que acontece com o celular que cai na água

Antes de compartilharmos dicas sobre o que fazer quando o celular cai na água, vamos a algumas informações sobre o que pode acontecer com seu aparelho nessa situação.

A água no celular tende a provocar a oxidação de seus componentes, sobretudo os internos. A placa interna é o item que comumente sofre os danos mais significativos.

O que acontece, portanto, é que os problemas que a água provoca afetam principalmente componentes que o usuário não consegue alcançar facilmente.

É certo que manchas na tela, ou display, também podem acontecer como consequência da queda do aparelho na água. Esse problema, porém, é mais simples e mais barato de ser resolvido.

A depender da extensão do dano, como o comprometimento de uma placa principal do aparelho, o conserto pode nem valer a pena. Como, em um primeiro momento, você não tem como fazer essa avaliação, vale saber o que se pode ou não fazer para tentar salvar o celular!

Não tente ligar o celular

Se entrou água no celular ou se o aparelho acabou “tomando um banho”, é natural que o primeiro impulso de seu dono, após retirá-lo da água, é querer saber se o celular ainda funciona.

A dica dos especialistas, contudo, é para que você contenha esse impulso e não tente ligar o celular. Isso porque na ânsia de tentar descobrir se a tela vai se acender e se o aparelho vai obedecer aos seus comandos, você pode acabar provocando um curto circuito que só tende a agravar o problema.

Leve o aparelho para a assistência técnica

Sendo possível, tão logo você recupere o celular da água, deve levá-lo a uma assistência técnica. Lá, um dos procedimentos que devem ser adotados é o banho químico.

Esse banho tem por objetivo secar o excesso de água do celular para conter o processo corrosivo. Algo que pode salvar os componentes que tenham sido afetados pela água, manter seu funcionamento ou fazer com que o conserto valha a pena.

Está se perguntando o que pode ser feito se você não puder levar o celular imediatamente a uma assistência técnica?

Desmonte e seque os componentes do celular

Se possível for, desmonte o aparelho para retirar bateria, cartão SIM e qualquer capa protetora utilizada no celular e seque cada item, bem como o aparelho, com um guardanapo ou papel toalha.

Caso o celular tenha caído em água salgada, antes de qualquer coisa, saiba que sua recuperação será menos provável porque a oxidação acontece mais rapidamente nessas circunstâncias. Em todo caso, lembre-se de limpar os itens com água doce antes de seguir o processo de tentativa de recuperação.

Para retirar o máximo da umidade, você pode recorrer a um compressor de ar ou aspirador de pó. Não utilize secador ou qualquer outro equipamento que possa provocar o aquecimento do celular e seus componentes. Da mesma forma, evite expor o aparelho ao sol.

Caso você não consiga acessar a bateria do celular, manter o aparelho desligado vai ajudar a evitar danos mais severos. Smartphones, como o ObaSmart, são mais difíceis de serem desmontados do que modelos de celular como o do ObaPhone Barra. Por isso, faça o que estiver ao seu alcance.

Coloque o celular em um pote cheio de arroz

Se você já ouviu histórias de quem deixou o celular cair na água ou ouviu alguma dica a respeito, provavelmente já conhece a ideia de mergulhar o aparelho em um pote cheio de arroz.

A medida realmente pode ajudar porque o arroz puxa a umidade do aparelho, o que pode fazer com o que o celular volte a funcionar. Entretanto, especialistas alertam que o arroz pode não conseguir retirar toda a água da parte interna do aparelho, o que permite que o processo de oxidação continue e desencadeie danos futuros.

Enquanto o arroz for sua opção imediata ― na impossibilidade de levar a aparelho à assistência ― lembre-se de que é preciso cobrir o celular por completo e mantê-lo mergulhado por um dia inteiro.

Depois desse período, retire o aparelho e faça nova secagem de seus componentes. Em seguida, deixe o celular novamente no arroz por um período de quatro a seis horas.

Outros materiais, como o gel de sílica ou o AF Tech-Rescue, podem ser utilizados no lugar do arroz.

Tente ligar o aparelho para conferir seu funcionamento

Depois de todo esse processo de secagem e retirada da umidade do celular que caiu na água, a menos que você detecte pontos de umidade remanescentes, pode tentar ligá-lo.

Caso ainda perceba áreas úmidas, repita os passos de secagem com guardanapo ou aspirador de pó e “descanso” no pote de arroz.

Com tudo pronto, passadas 24 horas desde o início da operação de recuperação do aparelho, recoloque seus componentes nos locais de origem, cruze os dedos, e ligue.

Se o celular não responder, ou seja, se não ligar, conecte sua bateria à uma fonte de energia e tente novamente. Caso funcione, pode ser necessário buscar ajuda profissional para substituir a bateria danificada por uma nova.

Caso o procedimento não funcione, a solução vai ser recorrer à assistência técnica para que novas e mais eficazes medidas sejam tomadas. Lembre-se, porém, de que não é garantido que o aparelho volte a funcionar normalmente.

Conclusão

Salvar um aparelho celular da água é possível, mas pode ser trabalhoso e até dar errado. Para muitos que enfrentam essa situação, a ansiedade com a possibilidade da perda é um dos principais desafios, então convém ter algum serviço de backup de dados para recuperá-los em outro aparelho, se preciso for.

Em todo caso, a melhor resposta para o que fazer se o celular cai na água é buscar a assistência técnica imediatamente. Se contar com ajuda profissional não for possível, resta seguir as dicas compartilhadas e torcer para que tudo dê certo.

Você já precisou lidar com uma situação de celular na água? Conte-nos como foi a sua experiência!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *