Você é do tempo em que era comum revelar fotos? Se lembra de quando as câmeras Polaroids surgiram e se popularizaram com a tecnologia de revelação instantânea de fotos?

Quer você tenha vivido ou não a realidade que narramos, fato é que as câmeras tipo Polaroid  estão de volta, acompanhadas de serviços de revelação para quem não quer manter os registros apenas no universo digital.

Por isso, tem gente mais nova e gente mais vivida no rol daqueles que já tiveram contato com a revelação instantânea, mas nem todos sabem como funciona essa tecnologia. Bora conferir?

A história da foto instantânea tipo Polaroid 

Cá estamos nós, na segunda década dos anos 2000. A foto instantânea é uma realidade tão comum em nosso dia a dia que usamos as câmeras dos celulares para registrar qualquer coisa que precise ser salva e não somente recordações de momentos incríveis.

Fotografamos receita de bolo para mandar para alguém pelo whatsapp, fotografamos uma faixa ou anúncio na rua só para não ter o trabalho de anotar o número de contato correndo, fotografamos aquela informação importante que o professor passou em um slide na sala de aula e por aí vai.

Percebeu que relacionamos apenas coisas que poderiam ser registradas de outras formas que não fossem a fotografia instantânea? Foi proposital, para mostrar o quanto essa tecnologia se tornou banal.

Por muito tempo, porém, não era nada fácil fazer um registro de forma tão simples. Quer dizer, há muitos e muitos anos câmeras fotográficas nos permitem fazer fotografias com apenas um clique, mas ver o resultado na hora é algo mais recente.

Antes do surgimento das câmeras digitais, a possibilidade da instantaneidade foi apresentada pelas câmeras Polaroid .

O primeiro aparelho fotográfico do mundo foi criado em 1826, pelo francês Joseph Nicéphore Niépce. Por sua vez, a primeira câmera Polaroid  surgiu em 1948, graças à uma garotinha de apenas três anos.

Não, não foi a criança que inventou a câmera tipo Polaroid , mas foi ela quem perguntou ao seu pai, Edwin Herbert Land, por que não podia ver as fotos tão logo eram tiradas.

Instigado, o inventor passou alguns anos se dedicando a desenvolver um dispositivo que permitisse a impressão direta das fotos em papel. O primeiro protótipo recebeu o nome de Land Model 95 foi lançado em 1947 e passou a ser comercializado no ano seguinte.

Como funciona a fotografia instantânea

Contar em detalhes como funciona uma câmera Polaroid  antiga ou até mesmo um modelo mais recente, seja da mesma marca ou de outra que tenha um equipamento similar, não é fácil.

O que, hoje, nos parece extremamente simples, é fruto de um processo relativamente complexo e, por isso, vamos tentar descomplicar um pouco. Para tanto, recorremos a informações compartilhadas por uma matéria da Revista Super que apresenta as etapas do funcionamento de uma câmera tipo Polaroid .

Etapa 1 ― entrada de luz e visualização da imagem

A luz entra pela objetiva, um conjunto de lentes que, grosso modo, permite que a câmera “visualize” a imagem e possa reproduzi-las em filme.

Neste processo, a luz é refletida por um espelho em diagonal que fica dentro da câmera, fazendo com que a imagem visualizada seja refletida na superfície do filme.

Etapa 2 ― O obturador entra em ação

O obturador, aquela estrutura que se fecha e se abre rapidamente a cada clique, é acionado. Ao se fechar, bloqueia a entrada de luz para evitar que o filme se queime.

Etapa 3 ― Reagentes químicos são liberados

Um estouro acontece para liberar reagentes químicos envolvidos na reprodução da imagem captada para o papel.

Quem já teve a oportunidade de ver o processo de revelação de fotos tiradas por câmeras comuns, sabe que tudo acontece em uma sala de luz vermelha para impedir que o filme queime.

Reagentes químicos são utilizados em diferentes etapas para garantir que a foto seja reproduzida em papel tal qual era a imagem real. Em câmeras Polaroid  e outras do tipo, o processo é similar, mas acontece diretamente no papel fotográfico.

Para tanto, assim que apertamos o botão de disparo para fazer uma foto, o filme passa por dois roletes que “estouram uma bolha com reagentes químicos” que viabilizam a revelação.

Um interessante ponto de destaque é que existe uma cápsula na borda do papel que impede que a imagem seja revelada antes da exposição à luz. É por isso que podemos acompanhar a imagem se formando do zero.

Etapa 4 ― A mágica acontece no papel

O papel é retirado da câmera e o líquido nele espalhado começa a reagir à luz. Esse líquido, que vem da cápsula que mencionamos, tem diferentes reagentes químicos e cada um responde de uma forma aos raios de luz.

Com a exposição, os reagentes penetram nas camadas do filme e ativam os reveladores que são responsáveis por liberar tintas coloridas e formar a imagem pouco a pouco. Pronto!

Ah, já viu gente sacudindo o papel-filme para conseguir a revelação seja concluída mais rápido? De fato, isso acelera o processo, mas pode causar manchas e distorções indesejadas na imagem. Então, tenha um pouquinho de paciência, ok!

Modelos de câmeras instantâneas modernas

Imagine você que, em 2008, a gente encontrava matérias anunciando “o fim da Polaroid ” porque a empresa responsável pela câmera mais famosa de fotografias instantâneas estava encerrando a produção do equipamento e dos filmes.

Aconteceu o que você já deve estar pensando: a Era Digital fez suas vítimas e as câmeras de revelação instantânea estavam entre elas. De lá pra cá, o mercado fotográfico evolui bastante e, ironicamente, foi justamente isso o que abriu espaço para a volta da Polaroid anos depois.

As câmeras digitais foram se tornando cada vez melhores e, com o avanço tecnológico, se tornou mais fácil levar suas configurações aos smartphones. Hoje em dia, é possível fazer fotos com qualidade profissional usando aquele mesmo celular que usamos para fotografar uma receita de bolo.

Foi nesse movimento que tivemos o “boom” de redes sociais como o Instagram que reativaram o gosto ou o desejo por registrar belas fotos e, claro, de compartilhá-las. Com isso, o mercado viu a oportunidade de tornar esses cliques mais especiais, sugerindo sua volta ao papel.

Serviços de revelação começaram a surgir e câmeras de revelação instantânea também. Assim, se você se interessa por esse tipo de tecnologia, não precisa se virar em busca de uma câmera Polaroid antiga, há modelos novinhos em folha esperando por você!

O mais interessante é que, nesse ressurgimento, as câmeras de revelação instantânea também evoluíram. Assim, existem modelos mais simples e básicos e outros um pouco mais robustos para você escolher.

Confira alguns que figuram entre as melhores opções de câmeras Polaroid e similares:

  • Polaroid Pop;
  • Polaroid Snap Touch;
  • Instax Mini 9 (Fujifilm);
  • Rodomatic (Kodak);
  • Instax Mini 90 (Fujifilm);
  • Polaroid Polpic300.

Se você ficou com vontade de ter uma câmera Polaroid ou similar agora que conhece melhor essa tecnologia, já sabe, dá um Google e faça uma boa pesquisa para descobrir a melhor alternativa. Lembre-se de que a câmera ideal é a que atende às suas necessidades e cabe no seu orçamento!

Tá afim de ler mais um post bacana? Saiba por que e como revelar fotos!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *