O que você sabe sobre a Bossa Nova? Nós da Obabox somos fãs de música e adoramos um bom resgate histórico para saber mais sobre assuntos como os principais movimentos da música brasileira.

Se você está com a gente nessa, continue a leitura do post para conhecer um pouco mais da história de um dos estilos musicais mais famosos do país. Afinal, até no exterior pessoas conhecem Garota de Ipanema, não é mesmo?

Contexto de surgimento da Bossa Nova

Na década de 1950, o Brasil começou a viver um momento de euforia e otimismo ocasionado pelo crescimento econômico que o país experienciou após a II Guerra Mundial.

Basta se lembrar de que, à época, o presidente era Juscelino Kubitschek que, entre outras coisas, entrou para a história como responsável pelo plano de ação ou plano de metas “Cinquenta anos em Cinco”.

A política desenvolvimentista que propiciou um crescimento acelerado motivou jovens da classe média brasileira a abraçar a oportunidade de inovar a cultura nacional. 

Falamos de músicos e compositores que acreditavam em seu poder de influência tinham por objetivo internacionalizar a música brasileira ― o que, de fato, acabaram conseguindo ― e, para isso, criaram a Bossa Nova.

Até então, as composições que faziam sucesso no país eram as músicas samba-canção de melodias simples e assuntos como amor, traições e vinganças. Algo que não interessava muito aos jovens cariocas que estavam obstinados a renovar a cultura brasileira.

Fugindo do estilo que dominava até então, eles artistas apostaram em influências do jazz norte-americano e elementos da cultura nacional para criar um estilo que daria origem a um importante movimento musical brasileiro.

A história da Bossa Nova

Oficialmente, o início da Bossa Nova se deu em 1958 quando dois importantes álbuns foram lançados: Canção do Amor Demais, de Elizeth Cardoso, e Chega de Saudade, de João Gilberto.

O disco de Elizeth era completo de composições da dupla Vinícius de Moraes e Tom Jobim que já trabalhavam juntos há cerca de dois anos.

Por sua vez, o disco de João Gilberto apresentou mais renovações ao som do movimento. Como consequência, acabou sendo melhor aceito em São Paulo, contribuindo para que a Bossa Nova expandisse seus horizontes para além do Rio de Janeiro.

Talvez por isso muitos apontem Chega de Saudade como o marco do início da Bossa Nova. Algo que combina bem com o reconhecimento que João Gilberto tem como um dos gênios da música brasileira.

Convém dizer ainda que João era um dos que mais tinham desejo de inovar e apresentar ao público algo realmente diferente da música que vinha sendo produzida até então.

Ainda, foi ele o responsável pela invenção da batida no violão que se tornou uma das características da Bossa Nova.

As características da Bossa Nova

E já que mencionamos uma das características desse movimento musical, é justo apresentá-lo de uma forma um pouco mais completa considerando outros elementos que o compõem.

Como dito, a ideia do núcleo da Bossa Nova era inovar a música nacional. Inspirados pelo cenário dos “Anos Dourados” do país, eles queriam modernizar a cultura brasileira e torná-la nova ou atual o bastante para que tivesse apelo até mesmo no exterior.

Como não se identificavam com a música produzida até o momento, era natural que fugissem do drama emotivo que era característico dos samba-canção. Algo que influenciou até o jeito que de cantar a Bossa Nova.

A saber, o movimento foi marcado por um estilo de canto mais discreto que aproximava o cantar do falar ou do cantar falando. Uma característica que ia de encontro à ideia de estilo despojado e um pouco mais casual.

Também por essa razão, ainda que pudesse contar com composições sofisticadas dada a influência do jazz, as músicas da Bossa Nova apostavam em uma linguagem mais simples.

Por que o nome Bossa Nova?

Até hoje, não se sabe ao certo de onde o nome Bossa Nova surgiu. O que temos conhecimento é o termo era usado como um adjetivo que provavelmente remetia à ideia de algo original, inteligente e bem-humorado.

Algo ou alguém com essas características era “cheio de bossa”. Assim, foi se popularizando a ideia de se referir aos jovens músicos e compositores como pessoas bossa nova.

Só depois, a partir da difusão dessa ideia, é que bossa nova deixou de ser usado como adjetivo e passou a se referir a um movimento musical grafado com letras maiúsculas: a Bossa Nova.

Os principais nomes e canções do movimento

Agora que você já conhece melhor o movimento, podemos nos concentrar em alguns dos principais nomes da Bossa Nova ― já mencionados no post ― assim como em algumas das músicas de maior sucesso.

João Gilberto

Compositor, cantor e violonista, João Gilberto é um dos nomes mais importantes da Bossa Nova, como já destacamos.

Nascido em 1931 em Juazeiro, na Bahia, começou sua carreira como cantor na Rádio Sociedade da Bahia antes de se mudar para o Rio de Janeiro, onde participou do grupo Garotos da Lua.

Na Bossa Nova, antes de lançar seu LP, ele participou da gravação do disco de Elizeth Cardoso, tocando violão nas faixas Chega de Saudade e Outra Vez;

Vinícius e Tom

Vinícius de Moraes, entre outras atribuições, foi um poeta, cantor e compositor brasileiro. Nascido em 1913, no Rio de Janeiro, se tornou letrista responsável por várias das músicas da Bossa Nova e, por essa razão, também aparece no hall de fundadores do movimento.

Foi em parceria com ele que Antonio Carlos Jobim compôs um dos hinos da Bossa Nova, Garota de Ipanema, lançada em 1962.

Nascido em 1927, no Rio de Janeiro, Tom foi um compositor, pianista, cantor, arranjador e violonista brasileiro de papel fundamental para a Bossa Nova e a cultura nacional como um todo;

Elizeth Cardoso

Nascida no Rio de Janeiro, em 1920, Elizeth Cardoso é considerada uma das maiores intérpretes da história da música brasileira, além de ter sido uma cantora de talento reconhecido no país e no exterior.

Seu talento, inclusive, a fez passar por outros estilos antes de chegar ao inovador movimento liderado pelos jovens modernos do Rio de Janeiro. Do choro, ela foi para o samba-canção e se sagrou uma das principais intérpretes do gênero.

Só depois migrou para a Bossa Nova, se transformando em um dos pilares essenciais para o surgimento do movimento. Vale lembrar, foi ela quem gravou o disco com composições da dupla Vinícius e Tom, ainda em 1958.

Principais músicas da Bossa Nova

O desejo de inovar a cultura nacional surgido de jovens do Rio de Janeiro foi suficiente para que vários sucessos pudessem ser relacionados entre as músicas da Bossa Nova que merecem destaque. Veja:

Chega de Saudade

Lançada em 1956, Chega de Saudade é uma composição da dupla Vinícius e Tom e que foi gravada por diversos artistas. Entre eles, está João Gilberto, responsável pela versão que se tornou um marco para o movimento;

Eu Sei Que Vou Te Amar

Composta em 1958, novamente pela dupla Vinícius e Tom, Eu Sei Que Vou Te Amar aparece entre as melhores músicas brasileiras de todos os tempos segundo ranking divulgado pela revista Rolling Stone;

Garota de Ipanema

É bastante improvável que um post que se disponha a falar sobre as principais músicas da Bossa Nova deixe Garota de Ipanema de fora.

Lançada em 1962, a música é mais uma dos parceiros Vinícius e Tom e teve como objetivo homenagear a “musa inspiradora” Helô Pinheiro que, até os dias de hoje, é conhecida como a eterna garota de Ipanema.

Além de ter recebido o Grammy de Gravação do Ano, em 1964, Garota de Ipanema recebeu diversas regravações e interpretações. Uma delas, é a de Frank Sinatra:

Samba da Bênção

“É melhor ser alegre que ser triste. Alegria é a melhor coisa que existe…”.

Reconhece esses versos? São da música Samba da Bênção, lançada em 1967, como fruto da parceria entre Vinícius de Moraes e Baden Powell.

A Bossa Nova foi um movimento musical brasileiro tão importante que arriscamos dizer que até os que nasceram décadas depois conhecem ao menos um de seus principais sucessos.

Se você gostou deste post, recomendamos a leitura de Aumente o volume: a história dos movimentos musicais brasileiros para seguir aprendendo sobre o assunto!

Share: