Dados do IBGE ― o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ― apontam que a expectativa de vida do brasileiro aumentou. Para envelhecer bem, vale conhecer algumas atividades para idosos manterem a saúde e a disposição em dia.

A prática de atividades físicas é muito recomendada em qualquer idade. Com o passar dos anos, é comum que as pessoas percam peso, inclusive massa muscular. Algo que tende a fragilizar o corpo e aumentar as chances de quedas, fraturas, osteoporose e outras situações que preferíamos evitar, certo?

Mais do que evitar doenças, as atividades podem ajudar os idosos a aumentar os níveis do hormônio da felicidade no organismo, melhorar a qualidade do sono, socializar, se divertir e manter sua autonomia. Confira algumas opções a seguir!

1. Caminhada

A caminhada é considerada uma atividade bastante democrática porque pode ser praticada por pessoas de qualquer idade. Além disso, permite que cada um imponha seu próprio ritmo, sem forçar seus limites e com poucas chances de quedas ou lesões.

Caminhadas podem começar leves e ter curta duração, de acordo com o preparo físico do praticante. Pouco a pouco, vale apostar na evolução e aumentar o ritmo, na medida do possível, e o tempo de duração. Por essa razão, esta é uma boa atividade para idosos, sobretudo para os que estão sedentários e precisam mudar a rotina gradativamente.

É bom dizer que uma caminhada enquanto atividade física é diferente de “dar uma voltinha”. O mais interessante é usar um tênis apropriado e roupas confortáveis. Assim, evita-se qualquer desconforto a cada pisada e fica mais fácil lidar com o suor. Entretanto, ainda que seja diferente, pode manter acessórios que se façam necessários, como um andador ou uma bengala ObaCane.

2. Hidroginástica

Para os que já estão mais dispostos, a hidroginástica aparece como ótima opção de atividade para idosos. Por ser na água, reduz impactos e faz com que os movimentos pareçam mais leves e fáceis de executar.

Com isso, o praticante pode melhorar sua condição física mais rápido, em comparação com a caminhada. A tendência é o aumento da força muscular, o fortalecimento do coração e a melhora da flexibilidade.

Algumas pessoas temem que a hidroginástica seja pesada ou agitada demais para faixas etárias mais avançadas, mas não é assim, necessariamente. Existem aulas que são especialmente ministradas para a terceira idade, considerando as limitações de cada um.

Em geral, até mesmo quem não sabe nadar pode fazer hidroginástica, mas é sempre bom que o professor seja devidamente informado. As piscinas costumam ter partes mais rasas e algumas também contam com barras de apoio. Além do mais, a atividade pode ser feita com acessórios flutuantes, para evitar incidentes.

3. Natação

Ainda considerando as possibilidades de práticas em piscina, a natação é outra boa atividade para idosos que saibam nadar. O mais indicado é ter a orientação ou acompanhamento de um professor que possa se certificar sobre a realização correta dos movimentos e sobre o nível adequado dos exercícios.

Os benefícios são variados. A natação é muito benéfica para o coração, ajudando-o a se manter mais forte, além de melhorar a função respiratória. Já as braçadas e pernadas ajudam a aumentar a mobilidade do idoso, além de fortalecer seus membros.

Em comparação com a hidroginástica, a natação também é uma atividade de baixo impacto. Em outras palavras, tem risco pouco significativo de lesões ou dores nas articulações.

Um ponto diferente que merece ser destacado é que, enquanto a hidro favorece a socialização, a natação pode ser uma atividade mais solitária. Isso, porém, não é um problema ― há quem preferia assim e tudo bem!

E quem não sabe nadar, mas gosta de água? Sempre é tempo para aprender. Neste caso, além de se exercitar para envelhecer com saúde, o praticante tem a chance de acrescentar mais um item à lista de aprendizados e conquistas ao longo da vida.

4. Pilates

Assim como a caminhada, o pilates também é democrático e recomendado para todas as idades. O mais legal é trata-se de uma atividade que tem benefícios especiais para os idosos.

O pilates é sempre feito com a orientação de profissionais. Existem até determinações legais que limitam o número de alunos por instrutor para permitir que todos recebam a devida atenção, garantindo que os exercícios sejam realizados corretamente.

O praticante usa o peso do próprio corpo para realizar alongamentos que alinham a musculatura, diminuem a pressão nas articulações e fortalecem o corpo. Como consequência, o pilates favorece a mobilidade e contribui para a independência dos idosos, além de deixá-los menos suscetíveis a quedas.

5. Musculação

Pode acreditar, a musculação está na nossa lista de atividades para idosos e não é sem razão! Há quem pense que levantar peso é algo apenas para os mais jovens ou para quem quer um corpo de “capa de revista”.

Entretanto, os objetivos da musculação vão além de conquistar uma aparência considerada como o padrão fitness, com músculos saltados e barriga tanquinho. Antes disso, o propósito da atividade é fortalecer os músculos.

O aumento da musculatura é uma consequência desejada, já que o avançar da idade leva a uma perda natural de massa. Reverter ou minimizar essa perda na medida do possível ajuda a manter o corpo todo mais forte, algo que também favorece a autonomia, além de contribuir para melhorar a mobilidade e evitar quedas.

Vale ter em mente que, a fraqueza muscular é um dos motivos que fazem com que idosos arrastem os pés, ao invés de levantá-los, ao caminhar. Recuperar a força, portanto, diminui riscos e aumenta a qualidade de vida.

6. Dança

Por fim, para os que gostam mais de movimentar o corpo e gostam de música e dança, existem diferentes aulas que podem ser adequadas. A ideia é a mesma já mencionada anteriormente: procurar orientação e uma aula que seja adequada à idade e às eventuais limitações.

Um ponto bem interessante da dança é que há ritmos que são perfeitos para casais, como as aulas de bolero, tango e outras danças de salão. Assim, há uma boa oportunidade para reviver bons momentos de conexão entre o par.

Para quem não gosta ou, por algum outro motivo, prefere não fazer aulas de dança a dois, existem outras possibilidades. Danças soltas, aulas de ritmos e outras menos intensas podem ser adequadas para que o idoso se exercite, se socialize e se divirta! Uma combinação que faz muito bem ao corpo e ao cérebro.

O que mais você precisa saber sobre atividades para idosos

Antes de finalizarmos, há algumas outras coisinhas que você precisa saber sobre atividades para idosos.

É sempre recomendável buscar orientação médica antes de começar qualquer prática. Cada pessoa tem suas próprias necessidades, preferências e fatores que merecem atenção especial. Clínicos gerais, cardiologistas e outros especialistas podem ser necessários para ajudar na escolha da atividade certa.

No dia a dia da prática, o acompanhamento por profissionais também é muito importante. Para a caminhada, isso tende a ser mais difícil, mas ainda é possível buscar orientações sobre o tipo de calçado certo e a intensidade recomendada para o exercício.

É interessante que o praticante tenha em mente que, mais do que uma “obrigação” para melhorar a saúde, a prática de uma ou mais atividades para idosos promove qualidade de vida, alegria e mais disposição para curtir tudo que ainda há por vir!

E então, qual dessas atividades lhe parece mais interessante? Deixe seu comentário!

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *